Liane Dalprá(no detalhe) durante conversa com os acadêmicos do curso de Enfermagem na abertura da semana acadêmica – Divulgação/Unigan

Com o tema ‘Panorama da atuação do enfermeiro nas interfaces dos serviços de saúde’, acadêmicos do curso de Enfermagem da UNIGRAN participaram da décima edição da semana acadêmica. Durante cinco dias os alunos participaram de minicursos e palestras. Todos com temas voltados para empreendedorismo, saúde e manejo com os pacientes.

“A temática das palestras foram bem atuais e os assuntos todos pertinentes ao dia a dia dos profissionais, foram escolhidos com cautela e sempre pensando no crescimento dos acadêmicos de enfermagem”, menciona a coordenadora do curso de Enfermagem da UNIGRAN, Tatiana Vallezzi Cavichioli.

A palestra de abertura da semana acadêmica foi ministrada pela enfermeira e psicóloga Liane Dalprá. A temática escolhida para abrir o ciclo de conhecimentos foi ‘Depressão e risco de suicídio entre os profissionais da enfermagem’.

“É importante ressaltar que a depressão e o suicídio são fenômenos complexos que trazem intenso sofrimento para a vida das pessoas acometidas, aos seus familiares, a comunidade”, pondera Dalprá.

Ainda segundo a palestrante, estas duas situações coexistem e se influenciam mutuamente, uma vez que dados estatísticos da OMS (Organização Mundial de Saúde) apontam que a depressão é responsável por 4.3% da carga global de doenças e ainda está entre as que mais incapacitam, principalmente o público feminino. Já o suicídio, ainda de acordo com a OMS, a taxa de suicídios registrados no mundo é de 11.4% para cada cem mil habitantes.

“Baseado nestes estudos, o Brasil lidera o ranking de países entre todos da América Latina em números registrados de depressão e suicídio e, para que essa realidade mude, nós precisamos de políticas públicas que ajudem a população entender que a depressão é sim uma doença que pode levar ao suicídio”, diz a palestrante.

Profissionais da saúde de uma forma geral, entre eles os da enfermagem estão sujeitos a adoecer por conta da depressão com grandes chances de serem levados a cometer o suicídio. “São fatores teoricamente simples, que unidos, podem levar a um quadro depressivo e até consequências mais graves. O estresse no ambiente de trabalho, baixos salários, carga horária extenuante, por isso devemos tratar quem nos trata”, finaliza Dalprá.