Home Geral Obras das casas do Estrela Guassu avançam em Dourados

Obras das casas do Estrela Guassu avançam em Dourados

Obras seguem em ritmo acelerado para que os futuros moradores tenham logo a sua casa própria – Foto: Assecom

Em ritmo bastante intenso, as obras das moradias do Residencial Honório Almirão (Estrela Guassu) avançam em Dourados. São 200 novas unidades habitacionais colocadas à disposição das famílias cadastradas no programa de habitação popular, por meio da Agehab (Agência Municipal de Habitação) e, já contempladas.

O novo residencial, localizado na Via Parque, próximo ao Parque Antenor Martins, está há 3 minutos do centro de Dourados. No local já está em funcionamento um Ceim (Centro de Educação Infantil Municipal).

Na tarde desta segunda-feira (16) a prefeita Délia Razuk esteve novamente no local vistoriando as obras e comentou sobre a localização privilegiada. “Os futuros moradores serão agraciados, além das casas, com toda a infraestrutura, escolas, área de lazer, comércio em geral e a grande vantagem de estar praticamente na área central, com o imóvel bem valorizado”, ressaltou.

O contrato para a construção das moradias foi assinado pela Prefeitura, Governo do Estado e a Caixa Econômica Federal no dia 30 de janeiro deste ano e serão R$ 27,3 milhões de investimentos, sendo R$ 20,5 milhões da União, R$ 4,2 milhões do Estado e R$ 1,6 milhão do município, que também doou o terreno.

Esse projeto, como lembrou o diretor da Agehab, Sérgio Henrique Martins de Araújo, foi recuperado mediante esforço da atual gestão municipal, depois que a prefeita Délia Razuk procurou o Ministério das Cidades com apoio da bancada federal de MS. A partir desse trabalho conjunto foi possível migrar o recurso que era do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) para o FAR (Fundo de Arrendamento Residencial).

Centro

A prefeita Délia Razuk aproveitou a visita ao residencial para anunciar que a prefeitura já está autorizada pela Caixa Econômica Federal a reiniciar as obras do Centro Social, um empreendimento que faz parte do conjunto de moradias e que está abandonado. Délia disse que a intenção é de retomar as obras assim que toda a questão legal for finalizada.

Sair da versão mobile