Omarosa tem divulgado áudios confidenciais do presidente

O presidente norte-americano, Donald Trump, usou mais uma vez o Twitter para reafirmar suas polêmicas. Dessa vez, atacou nesta terça-feira (14) a ex-assessora da Casa Branca Omarosa Newman, chamando-a de “cachorra” e “delinquente chorona”. Os ataques vieram porque Omarosa divulgou uma gravação de conversa privada que teve com o presidente, após ser demitida pelo general John Kelly em dezembro do ano passado.

Desde então, Omarosa tem trabalhado no seu livro, que chega às lojas nesta terça-feira: “Unhinged” (Desequilibrado) critica ferozmente a administração Trump e promete revelar as corrupções que a ex-funcionária viu na Casa Branca.

“Quando você dá um descanso a uma maluca e delinquente chorona, e dá um trabalho na Casa Branca, acho que pode não dar certo.

Bom trabalho ao General Kelly que rapidamente demitiu aquela cachorra”, escreveu Trump.

Desde segunda-feira (13), Trump tem usado o Twitter para atacar a ex-assessora. O mandatário declara que é uma forma moderna de comunicação, admite não ser uma atitude “presidenciável”, mas utiliza porque sabe “que a mídia Fake News fará Omarosa parecer legítima”.

Nos tuítes, Trump conta que Omarosa foi demitida três vezes do programa “O Aprendiz”, em que se conheceram e trabalharam juntos. Então, segundo ele, ela “implorou em lágrimas” por um lugar na Casa Branca e ele “disse ok”. O presidente afirma ainda que ela era má com as pessoas e uma perdedora, mas pediu que Kelly tentasse mantê-la no trabalho, já que só dizia “coisas boas” sobre Trump antes de ser demitida.

Os áudios de Omarosa foram gravados em locais da Casa Branca onde é proibido o acesso de dispositivos eletrônicos, mas a ex-assessora afirma que o fez para se proteger, já que “todos que trabalham lá mentem”. Segundo ela, outros áudios que envolvem o presidente ainda serão divulgados.

Da AnsaFlash