• Por Gilclér Regina

Não adianta ficar chorando, grudado nesse poste. Ele não vai sair do lugar. Quem tem de sair é você.

De 1,8 milhão de empreendimentos abertos em 2014, perto de 600 mil, ou 33% do total, fecharam as portas 2 anos depois.

A questão é: como, afinal, sobreviver em um ambiente de negócios que embute possibilidades tão parrudas de fiasco? Ou colocado de outra forma, o que fazer quando tudo parece dar errado?

A maioria das histórias de sucesso tem um fracasso e não poucas vezes, um fracasso enorme antes. Pessoas que viveram uma balada indigesta por anos até que enxergaram um fio de uma possível meada.

Na verdade, uma história de sucesso ou de uma recuperação não altera o rumo de um sem-número de desastres. Mas é possível sair do buraco, embora não exista um manual de sobrevivência para náufragos corporativos ou de carreira solo.

É aí que entra o nosso tema. Não adianta ficar chorando que o poste não vai sair do lugar. Quem tem de sair é você. É pensando numa forma moderna de enxergar o fracasso não como erro, mas como aprendizado. E esta é uma das bases filosóficas do Vale do Silício.

Um homem recusado como engenheiro na Toyota, resolveu fabricar motocicletas e criou a sua própria fábrica. Seu nome é Soichiro Honda. Ele disse certa vez que o sucesso é construído com 99% de fracasso. 

O homem que enfrentou o Apartheid na África do Sul, o grande Nelson Mandela disse assim: “Eu nunca perco. Ou eu ganho ou eu aprendo”. 

Que tal relembrar Thomas Alva Edison, um dos maiores inventores da humanidade, registrando mais de mil patentes, entre elas a lâmpada elétrica, quando disse: “Eu não fracassei milhares de vezes. Eu conseguir fazer milhares de tentativas que não funcionaram”.

E foi justamente aí que seguiu aprendendo e tornando-se famoso por todos estes anos e contribuindo para o desenvolvimento da humanidade.

Cair faz parte da jornada de todo empreendedor. Erguer-se pode ser difícil, mas não impossível. Quando eu trato do tema “do lixão para o milhão”, foi no deserto que me apaixonei pela vida. Dizer que está apaixonado quando tudo está bem é fácil demais.

Como palestrante profissional com bem mais de 4 mil palestras realizadas, posso lhes dizer que não nasci com um microfone na mão. Na vida a gente aprende que tudo é ônus e bônus.

É por isso que quando você atravessa uma dificuldade, você pode até chorar e reclamar, mas não pode ficar parado, chorando no poste. Nem o poste vai sair do lugar e nem conte com ninguém. Quem tem de sair é você, o único responsável pelo seu verdadeiro sucesso.

Para encerrar esta matéria quero relembrar o grande Michael Jordan, o maior jogador de basquete de todos os tempos. Ele disse: “Errei 9 mil arremessos em minha carreira. Perdi quase 300 partidas. Por 26 vezes confiaram a mim o arremesso da vitória e eu falhei. Falhei e tornei a falhar em toda a minha vida. E foi por tudo isso que triunfei”. 

O fracasso, a derrota… são imprescindíveis à formação de uma MENTE VENCEDORA. E isso vale para a vida toda, seja de atletas de qualquer esporte, competidores ou do mundo corporativo ou mesmo ainda na vida pessoal. Não adianta ficar chorando… 

Pense nisso, um forte abraço e esteja com Deus!

  • Por Gilclér Regina

P A L E S T R A S: www.gilclerregina.com.br