Reinaldo durante coletiva sobre a largada do Rally dos Sertões – Foto: Chico Ribeiro

Às vésperas da largada, o maior rali das américas já movimenta Campo Grande. A Capital de Mato Grosso do Sul é palco da abertura da competição deste ano. Pilotos de carros, motos, utvs e quadriciclos vão cortar o Brasil num percurso de 4,9 mil quilômetros rumo a Aquiraz (CE) – parada final dos competidores.

Reunido nesta sexta-feira (23) com os organizadores do evento, o governador Reinaldo Azambuja defendeu o Estado como rota do Rally dos Sertões. “Fomenta o turismo e traz as pessoas para conhecer nossas belezas naturais. Tivemos em 2017 a chegada do Rally em Bonito. Agora temos a largada na Capital, passando ainda por Costa Rica”, disse.

Para o gestor, a corrida ainda prospecta o Estado em outras regiões do Brasil e até do mundo, já que o Sertões é a segunda maior competição off road do planeta. “É um meio de divulgar Mato Grosso do Sul para todos”, afirmou o governador. Este ano, o Governo do Estado e a Prefeitura de Campo Grande são parceiras da realização do evento.

“Essa parceria é produtiva e de resultados. Para cada R$ 1 investido em atividades como essa, recebe-se de R$ 6 a R$ 7 de benefício. Então é ganho para todos”, pontuou Reinaldo Azambuja. “Temos ainda a questão da integração social e da interlocução do esporte com o turismo e a cultura”, pontuou o governador.

Segundo o CEO do Rally dos Sertões, Joaquim Monteiro, por cada cidade que passa a competição movimenta a R$ 650 mil na economia local, uma vez que a caravana do rally possui mais de duas mil pessoas, entre competidores e organizadores, que consomem em restaurantes, hotéis, postos de gasolina e demais empresas da área de serviços.