Murilo recua e diz que DEM ainda não definiu aliança

Segundo Murilo Zauith, conversas voltaram à estaca zero – Foto: O Progresso

O presidente regional do DEM, Murilo Zauith, recuou da decisão de apoiar a reeleição do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), após ser pressionado pelos deputados federais, que ainda não se sentem seguros em relação a chapa na proporcional. O ex-prefeito admitiu que voltou atrás e disse que as conversas devem ser retomadas amanhã (19), quando os parlamentares retornarem de Brasília.

Murilo tinha confirmado ontem (17) aoCampo Grande Newsque o partido iria seguir junto com os tucanos na eleição estadual, inclusive indicando o atual deputado estadual José Carlos Barbosa (DEM) para vaga de vice de Azambuja, e ele ocupando uma das vagas de Senado, na chapa majoritária do PSDB.

O ex-prefeito disse que os dois deputados federais – Luiz Henrique Mandetta e Tereza Cristina – pediram para reconsiderar a decisão, porque não estavam seguros em relação a chapa proporcional, em que ambos vão tentar a reeleição. “Voltou tudo a estaca zero. Vamos sentar de novo com os deputados (federais) para saber qual é a melhor alternativa, para que tenham mais chances de reeleição”, disse o democrata.

Ele ponderou que os deputados seguiram hoje (18) para Brasília, onde participam do encontro nacional do DEM, que vai decidir o futuro do partido na disputa presidencial. “Os parlamentares do sul querem apoiar (Geraldo) Alckmin, enquanto que o pessoal do Nordeste prefere o Ciro (Gomes). O foco hoje é sobre isto, amanhã (19) retomamos a discussão local”, explicou.

Murilo voltou a dizer que a prioridade do partido é eleger ao menos dois deputados federais e mais dois estaduais e que este espaço político é que vai contar para o fechamento da aliança. Além das conversas com os tucanos, o MDB também tenta convencê-los a fazer parte da coligação com o ex-governador André Puccinelli (MDB).