MS tem aumento de 5,9% nas vendas de varejo, e é um dos três estados com saldo positivo comparado a 2020

Política do Governo de MS de apoio aos setores prejudicados durante a pandemia alavancam a economia – Divulgação

Com uma política de apoio aos setores prejudicados durante a pandemia, Mato Grosso do Sul teve um aumento de 5,9% no volume de vendas em varejo comparado agosto de 2021, ao mesmo período do ano passado. É um dos três estados que conseguiu ter saldo positivo nesta avaliação.

Os dados fazem parte da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) referente ao mês de agosto, que foi divulgada nesta semana. Além de Mato Grosso do Sul, somente Espírito Santo (5,3%) e Piauí (3,7%) apresentaram saldo positivo na comparação com o ano passado. A média nacional inclusive foi de queda de 4,1%.

Em relação ao comércio varejista ampliado, que inclui as atividades de veículos, motos, peças e material de construção, o saldo positivo do Estado é de 15,9% em relação a agosto de 2020. Nesta avaliação a média do Brasil ficou igual ao mesmo período do ano anterior, sem perdas ou aumento nas vendas.

“O cenário de Mato Grosso do Sul é favorável para que os resultados sejam bons, em um momento que o mundo passa por dificuldades, temos a felicidade de ter um estado que a matriz econômica favorece os resultados, e com governantes e líderes atuantes que buscam medidas de redução dos impactos negativos”, afirmou Edison Araújo, presidente do Sistema Comércio, Sesc Senac IPF.

Araújo destacou que apesar de todas as dificuldades enfrentadas pelos empresários, tem apresentado resultados satisfatórios. “O aumento no volume de vendas acumulado de janeiro a agosto de 2021, está em 8.4% maior que o mesmo período do ano passado, o índice de confiança do empresário também tem se mantido satisfatório conforme mostra o pesquisa da confederação nacional do comércio”, concluiu.

Incentivo e retomada da economia

Diante da pandemia que além da saúde pública, prejudicou diversas atividades econômicas, o governo do Estado fez sua parte promovendo uma série de medidas e ações para amenizar as perdas durante este período, com o objetivo de retomar a economia e o desenvolvimento.

Para isto já em abril prorrogou por mais de 90 dias o pagamento de ICMS para bares e restaurantes e assim beneficiou mais de 6,7 mil estabelecimentos comerciais, que foram afetados com as restrições de suas atividades.

Logo depois lançou o programa “Retomada MS”, que prevê o investimento de R$ 1 bilhão para apoiar os setores mais atingidos pela crise da Covid-19. Os novos benefícios contam com três eixos: auxílio financeiro, medidas fiscais e microcrédito orientado.

Programas

Entre as medidas houve em julho a antecipação da metade do 13° salário aos servidores estaduais, com injeção de R$ 665 milhões na economia do Estado. Também foi lançado o programa de auxílio financeiro (Incentiva + MS Turismo) a profissionais do turismo, bares e restaurantes, no valor de R$ 1 mil durante seis parcelas.

Assim como o “+ Crédito MS”, que prevê financiamento de até R$ 3º mil a pequenos empresários e o “MS Cultura Cidadã”, com auxílio aos profissionais do setor com R$ 600,00 durante três meses. Às famílias carentes foi criado o “Mais Social”, que é o repasse de R$ 200,00 mensais de forma permanente, por meio de um cartão social.

“Estamos entre os estados com melhor desempenho na imunização da população, graças à nossa logística de distribuição. Junto com isso, temos bilhões em obras e o programa de retomada da economia, estendendo as mãos aos setores mais atingidos pela pandemia”, descreveu o governador Reinaldo Azambuja.

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.