• Por Gilclér Regina

“Eu ganho um bom dinheiro e por isso trabalho motivado ou eu trabalho motivado porque ganho um bom dinheiro. O que vem antes?”.

Relendo um antigo artigo do meu amigo Adroaldo, fiz algumas atualizações e adaptações para falar sobre motivação humana no trabalho.

É até comum em momentos que antecede uma palestra, às vezes empresas com milhares de funcionários, alguém se aproximar e perguntar qual é o tema da palestra.

Eu falo que é uma palestra motivacional e o “alguém” ri e desdenha dizendo que se a empresa quer realmente ver a equipe motivada tem que aumentar o salário.

Fico pensando com meus botões. Se esse “alguém” ganha um salário próximo do mínimo, digamos, R$ 1.000,00 e está muito desmotivado, eu pergunto: Se a empresa lhe desse um aumento de 100%, ou seja, mais R$ 1.000,00, o seu salário passaria a ser de R$ 2.000,00 por mês, certo? Você acha que realmente isso por si só deixaria ele motivado?

Por quanto tempo duraria essa motivação?  Será que a sua “atitude” mudaria depois desse aumento? Como seria seu comportamento diante do trabalho e dos colegas? Será que ele passaria a se interessar mais pela empresa, pelos objetivos dela e iria se comprometer mais com os resultados? Será que ele chegaria dez minutos mais cedo ou ficaria dez minutos depois do expediente para ajudar em algo, sem reclamar?

O que você acha disso? O que vem antes: a motivação ou o aumento de salário? O que realmente motiva uma pessoa no trabalho?

É óbvio que a maioria das pessoas gostaria de ganhar mais, de ser promovida primeiro para depois fazer. Mas não percebem, justamente o contrário, que precisam fazer primeiro para ser promovida depois.

Aqui está o dilema: TER para SER ou SER para TER. Ouve-se muito isso, a teoria do “Se”.  Se eu tivesse aquele carro ou aquela casa eu seria mais feliz. Se eu ganhasse na loteria tudo mudaria na minha vida. Se eu ganhasse mais eu iria arrebentar a boca do balão no trabalho.

Aí você ganha e nada muda. Sim, porque primeiro vem a motivação, a mudança, o crescimento interior, a resiliência. Primeiro vem um trabalho bem feito, com amor e brilho nos olhos. Primeiro vem a dedicação, a vivência, a experiência. Primeiro vem você definir o seu sonho, o seu projeto de vida e então lançar-se na sua construção. Primeiro vem o seu empenho, sua garra, seu esforço. Primeiro VOCÊ PRECISA DAR PARA RECEBER, PLANTAR PARA COLHER. Primeiro vem “não cuspir no prato que come”. Infelizmente, a maioria quer colher sem plantar e isso simplesmente não existe.

A construção de sua carreira é como subir uma escada. Cada degrau é um aprendizado, é uma experiência. Muita gente quer chegar no último degrau sem ter passado pelos primeiros.

Muitos ACHAM que são bons e merecedores, mas na prática essa não é uma realidade e não fazem por merecer. Não colaboram com a empresa e a usam no seu tempo profissional para casos e coisas pessoais e com isso saem do foco e até atendem mal os clientes.  Não se doam ao trabalho, são, como eu falo, tarefeiros, só fazem o que é mandado e o que é solicitado, sem nenhum tipo de iniciativa.

E, para encerrar, são os que mais reclama da empresa, do chefe, do salário e muito provavelmente esta é a conversa em casa. Se você quer aumentar o seu salário, entenda que primeiro tem que mudar “suas atitudes” e, ainda assim, mesmo que o seu dinheiro aumente, será que isso mudará de verdade SUAS ATITUDES?

Pense nisso, um forte abraço e esteja com Deus!

  • Gilclér Regina

P A L E S T R A S: www.gilclerregina.com.br