Tecnologias como o chip de identificação ajudam a identificar a trajetória dos animais na pastagem – Foto: Dalízia Aguiar

A capital Campo Grande e o Estado de Mato Grosso do Sul recebem pela primeira vez a reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), a ser realizada na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), entre os dias 21 e 27 de julho. A 71ª Reunião da SBPC trará o tema “Ciência e Inovação nas Fronteiras da Bioeconomia, da Diversidade e do Desenvolvimento Social” e a Embrapa levará suas mais recentes tecnologias, com a participação de pesquisadores e especialistas durante todos os dias do evento.

Chefe-adjunta de pesquisa e desenvolvimento da Embrapa Gado de Corte (Campo Grande-MS), Lucimara Chiari, ressalta que “é um marco histórico para as instituições de pesquisa de Mato Grosso do Sul, e isso inclui a Embrapa, sendo a SBPC o maior evento de divulgação científica da América Latina”. A cientista também destaca a importância para o Estado, no desenvolvimento da economia, da estrutura e da rede de ciência e tecnologia.

No espaço da Embrapa, o público, estimado em 15 mil pessoas, conhecerá os trabalhos voltados para melhoramento genético vegetal, sistemas integrados, conforto térmico, controle sanitário e pecuária de precisão. A programação considerou o público-alvo do evento e a localização do estande da Empresa, pavilhão SBPC Jovem.

“São jovens estudantes de ensino fundamental, médio e acadêmico, assim levaremos tecnologias mais interativas, como a identificação eletrônica animal. Porém, ao invés de levarmos animais, teremos bonés com chips que serão utilizados pelos estudantes, que se passarão por bois, e aprenderão como funciona o sistema de identificação eletrônica dos animais, tão importante para a rastreabilidade e segurança dos alimentos”, detalha Thaís Basso Amaral, chefe-adjunta de Transferência de Tecnologia da Unidade.

Chiari estará na abertura do evento (21) ao lado do chefe-geral da Embrapa Gado de Corte, Ronney Mamede, e Cátia Urbanetz, chefe-adjunta de pesquisa e desenvolvimento da Embrapa Pantanal (Corumbá-MS). Durante os dias de evento, os especialistas Marcelo Castro, Haroldo Queiroz, Alexandra Oliveira, Rosana Santin, Marilene Veiga, Fabiana Villa, Joaquim Castilhos, Andrea Raposo, Cacilda do Valle, Sanzio Barrios, Mateus Santos, Roberto Giolo, Jaqueline Verzignassi, Pedro Paulo Pires, Camilo Carromeu, Thaís Amaral, Ezequiel do Valle, Paulo Cançado, Renato Andreotti, Wilson Koller, Ériklis Nogueira e Karem Xavier revezarão o atendimento no espaço da Empresa.

Espaço Embrapa
Realidade aumentada ILPF –
 o sistema de integração lavoura-pecuária-floresta, em realidade aumentada, onde o usuário pode interagir e acompanhar as interações entre os componentes por meio de aplicativo “Maquete virtual de ILPF em realidade aumentada”.

Quadrinhos ILPF – a série Mitos e Verdades sobre a Carne, em formato de gibis, que trata assuntos como os gases de efeito estufa, o uso da água na pecuária e outros temas, voltados para o público infantil.

Bem-estar animal – por meio de câmeras de infravermelho, que traduzem a energia térmica irradiada por um corpo para uma imagem de energia visível, em diferentes escalas de cores, os visitantes conhecerão as diferentes aplicações possíveis desses equipamentos termográficos.

Plantas forrageiras e sistema reprodutivo – as características das plantas, seu uso e particularidades do desenvolvimento de cultivares estarão à mostra, assim como a apresentação do sistema reprodutivo, que será observado a partir da estrutura do ovário das plantas. Um arquivo fotográfico completará o roteiro com o passo-a-passo do processo reprodutivo.

Sementes de forrageiras tropicais – os 15 capins lançados pela Embrapa e parceiros, como a Unipasto, ao longo dos seus 40 anos, serão observados na SBPC Jovem.

Softwares da Embrapa – a gestão da pecuária passa, atualmente, pelas tecnologias de informação e comunicação (TICs). Suplementa Certo, Custobov, Pasto Certo, Controlpec e Cria Certo são alguns dos aplicativos disponíveis para a cadeia produtiva.

Fazenda BPA – em miniatura de uma propriedade rural estarão os pontos cruciais do Programa de Boas Práticas Agropecuárias – um conjunto de normas e procedimentos que devem ser observados pelos bovinocultores a fim de tornar as fazendas mais rentáveis e competitivas.

Mosca-dos-estábulos – timeline dos surtos de mosca-dos-estábulos no Brasil, começando em 1973, e seus consequentes prejuízos à produção.

Controle de carrapatos – importância do ectoparasita na transmissão de doenças aos animais e seres humanos, a partir de informações do Museu do Carrapato, com as principais espécies encontradas no Estado.

Insetos na pecuária – à disposição vários artrópodes, sendo alguns peçonhentos (escorpiões e lacraia), hematófagos (mutucas), vetores de doenças (barbeiros), e outros como barata d’água e cobra cigarra. Também espécies de besouros úteis no controle da mosca-dos-chifres (roba-bostas) e parasitas gastrintestinais bovinos. Por fim, as espécies de moscas de maior interesse médico-veterinário, como a mosca-do-berne.

Reprodução animal – em microscópio, os visitantes observarão o sêmen de touros para avaliar a fertilidade dos mesmos, dado relevante para melhorar a produtividade do rebanho.

Pecuária de precisão – tecnologias como o chip de identificação ajudam a identificar a trajetória dos animais na pastagem.

Além disso, haverá manipulações com nitrogênio líquido utilizado para preservação de sêmen e também extração de DNA.