Morre em Dourados aos 73 anos o professor Wilson Biasotto

Professor universitário aposentado Wilson Valentim Biasotto faleceu no Hospital do Coração de Dourados – Divulgação

Faleceu na tarde desta quarta-feira (14) no Hospital do Coração de Dourados o professor universitário aposentado Wilson Valentim Biasotto, aos 73 anos. Ele estava internado havia alguns dias para tratar de problemas saúde decorrentes de recidiva de um câncer do pulmão com metáteses em outros órgãos.

Biasotto foi vereador pelo Partido dos Trabalhadores, eleito em 2000, onde foi líder do prefeito na Câmara de Dourados entre 2001 e 2002. Em fevereiro de 2003 licenciou-se para assumir a Secretaria de Governo onde permaneceu até 31 de março de 2004. Em 1º de abril de 2004 reassumiu sua cadeira no Legislativo. Foi candidato a prefeito em 2008.

Paulista Borborema, residia em Dourados desde 1974 para onde migrou para lecionar História no antigo Centro Universitário de Dourados (CEUD), da Universidade Estadual de Mato Grosso (UEMAT), hoje UFMS. Era mestre e doutor em História Social pela Universidade de São Paulo – USP.

O CEUD é órgão embrionário da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), da qual foi um dos idealizadores e teve participação ativa e importante em sua criação, em 2005.

Foi diretor do Campus de Dourados da UFMS, gestão 1997-2000. Durante sua gestão foram desenvolvidos o projeto da Cidade Universitária de Dourados e criados vários cursos novos, a saber: Bacharelado em Administração de Empresas, Direito, Biologia, Medicina e as habilitações em Secretário Bilingue e Tradutor Intérprete no curso de Letras. Foram criados ainda os mestrados em História e Entomologia e Recursos da Biodiversidade.

Biasotto era sócio fundador e primeiro presidente da ADP (Associação Douradense de Professores), hoje Simted/Dourados (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação de Dourados). Fundador e Diretor do Teatro Universitário de Dourados -TUD- grupo teatral que teve atuação ininterrupta de 1974 a 1987. Criou em 1983 do Centro de Documentação Regional que abriga atualmente milhares de documentos sobre a região Centro-Oeste.

Homem culto e estudioso Biasotto escreveu os livros “O Movimento Reivindicatório do Magistério Público Estadual de Mato Grosso do Sul: 1978-1988, em coautoria com o prof. José Laerte Cecílio Tetila. “Até aqui o Laquicho vai bem: os causos de Liberano Leite de Farias”. Além dos livros, Biasotto publicou vários artigos científicos em revistas especializadas de sua área e mais de duas centenas de artigos opinativos em jornais de Dourados.

Casado com a professora Helena Maria Schvarcz Biasotto, teve três filhos: Mirella, Etienne e Milenne.

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.