Autoridades e homenageados descerram placa de inauguração do monumento O Chimarrão, dedicado à colônia gaúcha de Caarapó – Foto: Dilermano Alves

Como parte do projeto de revitalização das rotatórias existentes no perímetro urbano da sede do município de Caarapó, a administração do prefeito André Nezzi (PSDB) acaba de inaugurar o monumento cultural ‘O Chimarrão’ – uma réplica de uma cuia que representa a mais tradicional bebida típica do povo gaúcho. O ato oficial de inauguração ocorreu na manhã do último sábado (11).

De acordo com o prefeito André Nezzi, o monumento representa uma homenagem à colônia gaúcha radicada no município, “que muito tem contribuído para a formação cultural da população local e para o desenvolvimento socioeconômico do município”, conforme destacou em seu pronunciamento.

“Estamos dando vida às rotatórias, que servem não apenas para ordenar o trânsito, mas podem servir de instrumento para contar a história do nosso povo”, destacou o prefeito ao se referir ao projeto de resgate cultural em desenvolvimento na cidade de Caarapó e que recentemente também homenageou a comunidade católica com a instalação do monumento do Padroeiro Senhor Bom Jesus nas proximidades da Igreja Matriz. “A nossa intenção é homenagear todas as comunidades que contribuíram para a formação cultural da população de Caarapó, que ainda tem a forte presença da colônia paraguaia, dentre outros povos”, acrescentou o dirigente.

Representando oficialmente os gaúchos no ato, Olavo Trindade Caneppele, um forte agricultor local, que cultiva grandes áreas de soja na região junto com irmãos e colaboradores de uma empresa pertencente à família, agradeceu à administração municipal pela homenagem e destacou a “honra de estar no município que o acolheu como filho”. “A nossa gratidão à gente maravilhosa deste lugar que começou a receber a nossa família a partir de 1987”, sublinhou.

Segundo dados do site Wikipedia, o início da migração gaúcha deu-se juntamente ao começo do fluxo contínuo de migrantes paulistas no final do século XVIII, quando mais cidades passaram a ser fundadas no sul mato-grossense. Essa chegada de gaúchos deu-se, ainda como os paulistas, de maneira constante durante o século XIX e início do século XX. Na década de 1970, no entanto, uma segunda onda de migrantes gaúchos estabeleceu-se onde hoje é Mato Grosso do Sul, seguindo padrões de colonização notadamente diferentes da primeira. Juntamente com paranaenses, esses gaúchos procuravam se dedicar à cultura mecanizada da soja na região centro-sul do estado.

De acordo com historiadores, há registros da presença de gaúchos no local onde seria erguida a cidade de Caarapó já na década de 1870, logo após a Guerra da Tríplice Aliança (Brasil-Argentina-Uruguai x Paraguai – 1864-1870), com a imigração de trabalhadores do Rio Grande do Sul para atuar na exploração da erva-mate nativa, abundante na região.

O ato de inauguração do monumento O Chimarrão também foi prestigiado pelo vice-prefeito Gordo da Tigre (DEM), primeira dama Paula Luísa, secretários Roberto Nakayama (Planejamento, Projetos e Habitação), Ieda Maria Marran (Educação, Esporte e Cultura), Mário Barbosa Rodrigues (Agricultura e Desenvolvimento Econômico), Aparecido dos Santos )Governo e Infraestrutura), José Roberto Cardoso (Chefe de Gabinete do Prefeito), Roque Caneppele, Olívio Caneppele, e vereadores Manoelito Bagaceira (PDT), Manoel Batista de Souza (DEM), Gilberto Segóvia (PSDB), Pipoca (DEM) e Luiz Macarrão (DEM) e convidados.