Ministério da Pesca propõe PPP para ativar frigorífico do peixe de Dourados

Prefeita Délia e secretários receberam os superintendentes da Pesca e da Sudeco e encaminharam reivindicações – Foto: A. Frota
Prefeita Délia e secretários receberam os superintendentes da Pesca e da Sudeco e encaminharam reivindicações – Foto: A. Frota

A soma de esforços de organismos dos governos federal e municipal, com parcerias de empresas da iniciativa privada, vão colocar em operação o frigorífico do peixe de Dourados, que, a princípio, funcionará como um entreposto, para receber a produção local e da região.

A possibilidade de o governo destinar recursos para o empreendimento e as parcerias privadas foram discutidas em reunião na manhã desta quinta-feira, no gabinete da prefeita Délia Razuk, da qual participaram o superintendente da Pesca, Cesar Moura, secretários municipais e vereadores.

O superintendente da Pesca anunciou a disponibilização do Ministério da Pesca fomentar a piscicultura em Dourados e também relatou o interesse de empresas da região em aderir ao projeto do entreposto, já pronto para entrar em funcionamento.

Moura disse que o Ministério está conversando com algumas empresas, para fazer o investimento na planta do frigorífico e citou a Mae & Terra, Genesis, Tilabras e Copinsc, todas com investimentos no Estado.

O secretário de Agricultura Familiar, Landmark Ferreira Rios, defendeu as parcerias público-privadas como “a melhor saída para Dourados” resgatar o empreendimento.

“É um passo importante para a consolidação da piscicultura como fonte de renda em nosso município, e vai contemplar principalmente o pequeno produtor”, considera Landmark, lembrando que é desejo da prefeita Délia Razuk que o setor receba todo incentivo necessário para continuar se desenvolvendo.

Da reunião também participaram os secretários de Planejamento, José Elias Moreira; de Desenvolvimento, Rose Anne Vieira; de Obras, Tahan Mustafá; de Serviços Urbanos, Joaquim Soares; técnicos dessas pastas, os vereadores Junior Rodrigues e Sergio Nogueira e o advogado Wilson Matos, da Coordenadoria Especial de Assuntos Indígenas e assessores.