Mato Grosso do Sul lidera o Mercado Livre de Energia no Centro-Oeste

Com um crescimento de oito pontos percentuais no acumulado de 2020, Mato Grosso do Sul lidera o avanço do mercado livre na região Centro-Oeste neste ano. Apesar do estado ter começado o ano com uma queda de percentual, o MS conseguiu se recuperar nos meses seguintes, passando de 19% a 27%. Os dados são do Boletim da Energia Livre feito pela Associação Brasileira de Comercializadores de Energia (Abraceel) no mês de outubro.

Segundo o levantamento, mercado livre de energia correspondia a 19% do consumo de energia no estado em janeiro, ficando em 20% em fevereiro e março. Durante o primeiro semestre, houve duas quedas percentuais, em abril, porém o estado se recuperou em seguida, alcançando um patamar de 27% de consumo no mercado livre em agosto.

A Abraceel constatou no país que o livre comércio de energia teve um crescimento médio de 6%. “Tendo em vista que o Brasil ficou parado por cerca de 3 ou 4 meses, o crescimento deste indicador é um sinal muito importante de retomada do consumo e da busca das empresas por alternativas de redução de custos. E nisso o ingresso no mercado livre contribui muito”, diz Reginaldo Medeiros, presidente da Abraceel.

Atualmente, para ser um Consumidor Livre – aquele estabelecimento que pode escolher livremente o seu fornecedor de energia – a exigência é possuir no mínimo 2.000 kW de demanda contratada por mês, o que abrange basicamente indústrias e shopping centers. Este valor será reduzido para 1.500 kW a partir 1º de janeiro de 2021, ampliando ainda mais o público a ser beneficiado com a livre escolha. Em 1º de janeiro de 2022 o requisito mínimo cairá para 1.000 kW e por fim, 500 kW a partir de 1º de janeiro de 2023. O mercado livre de energia elétrica existe no Brasil desde 1998 e conta com mais de oito mil consumidores no país. Hoje, o Mercado Livre representa em torno de 33% de toda a energia comercializada em território nacional e 86% da energia consumida pela indústria.

Sobre a Abraceel

A Abraceel – Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia defende o direito da livre escolha do fornecedor de energia elétrica, a chamada portabilidade da conta de luz, e de gás natural pelos consumidores. Foi fundada no ano 2000 e atualmente conta com 96 empresas associadas, que comercializam 85% do volume de energia elétrica do segmento. Tem a finalidade de atuar junto à sociedade em geral, formadores de opinião, órgãos de governo, incentivando a livre competição de mercado como instrumento de eficiência nas áreas de energia elétrica e gás natural. Nos últimos 16 anos, os consumidores do mercado livre de energia elétrica economizaram mais de 200 bilhões de reais nas contas de eletricidade. Nesse particular, merece destaque que os preços da energia no Mercado Livre foram em torno de 29% inferiores às tarifas reguladas das distribuidoras no mesmo período. Atualmente esse mercado representa 33% de toda a energia elétrica consumida no Brasil e atende a cerca de vinte mil unidades de consumidores livres e especiais, que estão entre os maiores do país.

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.