Deputado Marcio Fernandes (MDB) – Foto: Assessoria

Conhecidos como “cracolândias” locais que aglomeram dependentes químicos, geralmente em regiões centrais das cidades parecem crescer de forma descontrolada e também já deixaram de ser exclusividade das grandes cidades, sendo que até cidades de médio e pequeno porte de Mato Grosso do Sul já começam a registrar a aglomeração de usuários, levando medo às pessoas e afastando comerciantes e seus clientes.

Em Campo Grande, a Antiga Rodoviária, como é chamado o Terminal Rodoviário Heitor Eduardo Laburu, desativada desde a inauguração do novo terminal na avenida Gury Marques em 2009, agoniza com lojas fechadas e abrigo para usuários de drogas, levando insegurança e desvalorização da área no entorno, ocupada por hotéis, bares e comerciantes resistentes e esperançosos por um novo cenário, diante de tantas promessas de recuperação ou até demolição do prédio para dar ao espaço um novo destino. Enquanto isso, furtos, violência, comércio e consumo de drogas acontecem dia e noite.

Para mudar o cenário que assola um dos bairros mais tradicionais de Campo Grande, o Amambaí, o deputado Marcio Fernandes está encaminhando ao prefeito Marquinhos Trad um ofício solicitando providências necessárias para o encaminhamento de dependentes químicos em situação de rua no entorno da antiga rodoviária para atendimento nos serviços apropriados. A leitura da indicação foi nesta terça-feira (26).

De acordo com Marcio Fernandes, a situação demanda atenção principalmente por se tratar de saúde e segurança pública, além de diversos outros fatores que envolvem um problema de tamanha complexidade, refletindo em constantes queixas dos moradores e comerciantes daquela região. Além dos frequentes furtos, assaltos e brigas, um problema decorrente do uso de drogas é a infecção por doenças transmissíveis principalmente pelo compartilhamento de seringas.

Apesar de não ser o único ponto de consumo de drogas em Campo Grande, é a mais conhecida e que concentra o maior número de usuários, sendo que no ofício encaminhado por Marcio Fernandes é tratada como prioritária em uma série de ações visando a recuperação dos dependentes e também evitar o aumento do número de usuários que ocupam esses locais.