Marcelo Miglioli caminha pelos municípios falando do MS que dá certo

Pré-candidato Marcelo Milgioli em uma das visitas aos municípios do MS – Assessoria

O engenheiro Marcelo Miglioli, pré-candidato ao Senado, está visitando os municípios e falando do Mato Grosso do Sul que dá certo. “Nós andamos de cabeça de erguida pelos 79 municípios porque o atual Governo tem realizações, entrega obras de qualidade e não está envolvido em nenhum tipo de escândalo que a população tanto abomina atualmente”, afirmou Miglioli, que essa semana já esteve em Anastácio, Aquidauana. Naviraí, Juti e Douradina, devendo visitar Bodoquena neste sábado.

Marcelo assinala que o governador Reinaldo Azambuja determinou não só a construção de obras, mas de obras bem feitas, com projeto executivo, com recursos disponíveis para que possam começar e terminar. Hoje, os 79 municípios têm investimentos estaduais, com destaque para a área de saneamento, onde a Sanesul deve fechar o ano com um total de R$ 1 bilhão em sistemas de água e esgotamento sanitário e na infraestrutura urbana, onde R$ 580 milhões contemplam as cidades no maior investimento dessa natureza da história de Mato Grosso do Sul.

“Nós entendemos que uma gestão que venceu a crise que quebrou muitos Estados brasileiros, que paga funcionalismo em dia, que executa mais de 500 obras e que tem as mãos limpas, não só pode como deve continuar administrando Mato Grosso do Sul”, afirmou o engenheiro Marcelo Miglioli, destacando que essa é a síntese de seu discurso por onde tem andado.

O resultado tem sido muito bom, avalia, porque os investimento são visíveis e de conhecimento das pessoas que moram nas cidades. Os recapes de vias urbanas que acontecem na maioria dos municípios têm impacto importante na vida das comunidades, comenta Marcelo, explicando que o Estado reconstrói o asfalto das ruas e avenidas de maior fluxo de veículos e estavam esburacadas por conta da idade do pavimento e do alto custo de manutenção.

“Com o recape feito pelo Governo do Estado, melhora a circulação de veículos, aumenta o acesso ao comércio e as áreas de uso intensivo no centro das cidades, há mais segurança para motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres e reduz a zero a necessidade das Prefeituras gastarem com o tapa-buracos e outros serviços de manutenção”, explica o ex-secretário de Infraestrutura do Governo do Estado, acrescentando que os municípios podem gastar mais nos bairros porque o centro está bem conservado.

Nas andanças pelo interior que começaram em abril, quando deixou a Secretaria de Infraestrutura, Marcelo tem se reunidos com prefeitos, vereadores, lideranças e populares para falar desses investimentos e apresentar sua proposta de trabalho em Brasília, uma vez que é pré-candidato a senador pelo PSDB.

Ele assinala que com 54% dos recursos concentrados nas mãos da União, é preciso ir pra lá alguém que saiba brigar pelas verbas e que entenda de projetos técnicos, uma vez que o pedido começa pela esfera política mas sua aprovação passa pelo crivo das áreas técnicas dos Ministérios, onde seu conhecimento pode fazer toda a diferença.

Outra justificativa é que o Brasil sofre com gargalos logísticos que encarecem o escoamento da nossa produção, roubando parte da competitividade dos nossos produtos no mercado internacional. “Posso ajudar nisso, contribuindo para direcionar os investimentos, gerar mais empregos e riqueza para o País”, conclui.