Presidente da Agesul, Luis Roberto, em audiência com o deputado Marçal Filho – Foto: Assessoria

O deputado estadual Marçal Filho (PSDB) definiu junto ao diretor da Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul), Luis Roberto Martins de Araújo, o recapeamento de algumas ruas na cidade de Dourados. Trechos de três importantes avenidas que fazem ligações entre bairros vão ganhar duplicação.

Uma delas é a José Roberto Teixeira, no Jardim Flórida. Trata-se de uma avenida que é a continuação da Weimar Gonçalves Torres. Ela inicia duplicada em frente ao Parque Antenor Martins e passa a ser pista simples num trecho de aproximadamente 700 metros, do Parque até a avenida Indaiá, no bairro Altos do Indaiá. Este trecho concentra escola e comércios, sendo de grande fluxo.

A partir da avenida Indaiá a José Roberto Teixeira volta a ser duplicada até o bairro Jardim Cristhais, passando pelo Hospital Universitário (HU). “Esses 700 metros, além de estar com a malha asfáltica comprometida, necessita de duplicação. Esse foi um estudo e entendimento, inclusive, da Agesul”, explica o deputado Marçal Filho.

Outro trecho a ser duplicado é o da Antônio Emílio de Figueiredo, da via Parque até a Lindalva Marques, aos fundos do Parque Antenor Martins, no jardim Clímax. Esse trecho faz ligações a bairros da região sul, com acesso a BR-463, saída para Ponta Porã, e a região oeste da cidade, que registra crescimento de lotes imobiliários. A duplicação terá como objetivo dar maior fluidez ao trânsito. Também vai ser duplicada a Rua Iguassu, entre os bairros Portal e Vila Rosa, para também assegurar mais segurança aos usuários daquela via.

Durante audiência com o presidente da Agesul, Marçal filho ainda apresentou um relatório com imagens e o percurso de ruas de vários bairros que possuem malha asfáltica em precárias condições. O deputado chegou a abrir consulta pública em suas redes sociais e após uma série de análises técnicas chegou-se a conclusão que as ruas de ligações de bairros que mais necessitam de recapeamento são a Via Parque (Grande Cachoeirinha), Manoel Santiago (Vila Tonani), Natal (Vila Industrial ao Monte Líbano), Alvaro Brandão (grande Maracanã), Fernando Ferrari/Filomeno João Pires (João Paulo II e Parque das Nações I); Azis Rasslen (Vila Popular), Rio Brilhante (Grande Água Boa), Raul Frost (Parque Nova Dourados/Terra Roxa), Eulália Pires (Jardim Climax/Cohab), Demeciano de Matos Pereira (Estrela Porã), Alameda dos Diamantes (Campo Dourado), e Belo Horizonte (Jardim Independência).

No entanto, Marçal Filho explica que ainda não foram definidas todas as ruas que vão receber recapeamento. “O recurso não conseguirá atender todas essas ruas, dessa forma, continua em análise pela equipe da Agesul quais serão as mais prioritárias”, diz o deputado. A Azis Raslem, em frente a Polícia Federal e de acesso à Cidade Universitária e aeroporto, a Manoel Santiago (acesso ao Parque Alvorada), e a Álvaro Brandão (Canaã I) são as definidas até agora a receber recapeamento.

A busca por recursos para obras de malha asfáltica começou assim que Marçal Filho iniciou o mandato de deputado estadual, em fevereiro deste ano. Presidente da Comissão de Obras na Assembleia Legislativa, Marçal bateu às portas do Governo do Estado em busca de verba. Grande parte da malha asfáltica em Dourados é antiga e o tapa-buraco não resolve o problema. Com isso, o deputado fez audiências com o governador Reinaldo Azambuja, que é de seu partido (PSDB), e apresentou estudo das principais ruas que precisam de recapeamento.

Devido ao bom relacionamento, Marçal já teve a garantia do governador de R$ 25 milhões para recuperar ruas de Dourados, no entanto, haverá destinação de mais recursos. Reinaldo Azambuja tem investido em recapeamento na cidade. As três principais avenidas – Joaquim Teixeira Alves, Weimar Torres e Marcelino Pires – receberam investimentos de R$ 22 milhões e a próxima a ser atendida nas próximas semanas, conforme Marçal Filho, será a Hayel Bon Faker. O investimento será de R$ 10,3 milhões para a realização de serviços de pavimentação asfáltica, drenagem de águas pluviais, acessibilidade e sinalização viária na avenida, no trecho entre a BR-163 e a Marcelino Pires.