Maradona ironiza “drones” de Sampaoli e cogita se reunir com atletas

Para Diego Armando Maradona, a decepcionante campanha da Argentina na Copa do Mundo tem seus culpados muito bem definidos: Jorge Sampaoli e a Associação de Futebol Argentino (AFA). Campeão mundial em 1986, o ex-jogador criticou o trabalho do técnico e atribuiu a derrota por 3 a 0 para a Croácia à entidade que regula o futebol de seu país.

“Tenho uma raiva que não pode ser transmitida e uma grande raiva interior, porque ele que vestiu essa camisa não pode vê-la golpeada por uma equipe croata que não é a Alemanha, não é o Brasil, não é a Holanda, não é a Espanha. Essa é a verdade”, lamentou o craque argentino.

Presente no estádio em que ocorreu o revés para a Croácia, Maradona ressaltou que o episódio “tem um culpado e ele é o presidente da Associação de Futebol Argentino”, disse, em referência a Claudio Tapia. “A AFA é dirigida por pessoas que não sabem nada de futebol”, condenou.

Sobre Sampaoli, Maradona questionou os métodos de trabalho. Disse que “todo mundo” acreditava que ele iria resolver os problemas da seleção “com os computadores, com os drones, com 14 assistentes, com 25 sparrings”. “A Argentina não sabe como jogar, não tem solução para nada. Ou seja, tanto no meio-campo, defesa ou no ataque, a Argentina não criou uma barreira, não ganhou as divididas, não teve a bola”, avaliou, em alusão à atuação diante da Croácia.

Maradona, contudo, eximiu Lionel Messi de qualquer culpa pela má campanha do time alviceleste no Mundial. “Leo jogou como poderia jogar. É difícil resolver os problemas dos companheiros de equipe”, argumentou.

O ex-atacante disse ainda que o triunfo da Nigéria sobre a Islândia abriu “uma oportunidade a mais”, porém voltou a questionar. “O problema não é a Nigéria. O problema somos nós”, sentenciou.

Por fim, Maradona cogitou se reunir com o elenco argentino junto a outros jogadores históricos, como Claudio Caniggia, Daniel Passarella e Jorge Valdano, para ter uma conversa a fim de “saber a capacidade deles para assimilar o que é vestir a camisa nacional”.

Para avançar às oitavas de final, a Argentina precisa vencer a Nigéria e a Islândia não derrotar a Croácia. As duas partidas estão marcadas para a próxima terça-feira, às 15 horas (de Brasília).

Da Gazeta Esportiva