Maracangalha apresenta em curta temporada no Circo do Mato “Tragicomédia de Dom Cristóvão e Sinhá Rosinha

Espetáculo será apresentado dias 06 e 07 de julho – Divulgação

Chegou a vez do Teatro Imaginário Maracangalha apresentar o espetáculo “Tragicomédia de Don Cristóvão e Sinhá Rosinha” na sede do Circo do Mato, as apresentações são abertas ao público e fazem parte de uma das quatro ações do projeto do Circo do Mato intitulado “Um Ciclo de Vida – Percursos e Percalços”, etapa Curtas Temporadas. Desde março, já se apresentaram o próprio Circo do Mato, o Grupo Ubu, Núcleo Jair Damasceno e Teatral Grupo de Risco, em agosto, encerrando as curta-temporadas, será a vez do Grupo Casa.

O projeto foi contemplado pelo FOMTEATRO 2017 – Política de Fomento para o Teatro no Município de Campo Grande – SECTUR e PMCG e está realizando 4 ações principais e outras paralelas, como montagem de espetáculo, intercambio artístico, formação com 4 oficinas diferentes voltadas ao teatro e curtas-temporadas.

O Teatro Imaginário Maracangalha, grupo de pesquisa em teatro de rua e espaços não convencionais de encenação, ao longo de sua trajetória construiu uma dramaturgia própria a partir do documentário, memória, cultura popular e literatura. Nessa construção o grupo parte para outro processo de pesquisa que é a encenação de um texto /dramaturgia pronta onde a “farsa”, gênero popular de teatro, é levado a cena com humor, drama e crítica social.

No processo de pesquisa o grupo investigou a cultura popular na fronteira com o Paraguai e a Bolívia e paralelos nas relações de gênero, patriarcado, ruralismo e capital, presentes na obra e na formação cultural do Mato Grosso do Sul a partir de suas fronteiras.

O grupo somou suas habilidades à pesquisa da cenografia, adereços, figurino e musicalidade com profissionais e pesquisadores das áreas relacionadas a seus processos de encenação. O artista plástico GHVA assina a cenografia, figurino, adereços e maquiagem, o músico e maestro Jonas Feliz é o diretor musical do espetáculo sob a direção de Fernando Cruz.

Assim, o grupo é reconhecido pela seriedade e profissionalismo em suas construções, já que às mesmas não ficam engavetadas ou restritas a apresentações de execuções de projetos, e sim, em circulação dentro e fora do Brasil, tratando o recurso público como forma de expansão da arte pública chegando a toda população na rua, de forma democrática. A execução desse projeto torna pública esta importante obra, assim como coloca o nome do autor e a sua relação com a contemporaneidade e nossa cultura em seu devido lugar e tempo.

Sinopse

Sinhá Rosinha quer casar, mas, como enfrentará o autoritário pai, o prepotente dom Cristóvão, o ex-namorado e seu apaixonado pretendente? Como escapará de um casamento forjado pelo dinheiro e viverá o seu amor desimpedido? Como diz sinhá Rosinha: “que se dane seu dinheirinho eu quero é o amor!”. Uma farsa que exalta os valores como a independência, a arte e o amor.

Ficha técnica

Adaptação do texto de Federico Garcia Lorca e Direção: Fernando Cruz

Direção musical: Jonas Feliz

Atuadores: Ariela Barreto, Fernando Cruz, Fran Corona, Moreno Mourão e Renderson Valentim

Figurino, cenografia, adereços e maquiagem: Ghva

Arte: Thiago Silva/Najom

Registro audiovisual: Cátia santos

Fotografia: Diogo Gonçalves/Ateliê Passarinho

Realização: Teatro Imaginário Maracangalha

Comparsas: Rede Brasileira de Teatro de Rua (RBTR), Najom, Ateliê Passarinho, Associação Miguel Couto, Degrau Estúdio, BRASA Comunicação, Teatral Grupo de Risco, Circo do Mato e Flor & Espinho Teatro

Serviço
Dias: 6, 7 e 8 de julho de 2018

Local: Circo do Mato –Rua Tonico de Carvalho 263 – Bairro Amambaí – CG

Horário: 19h

Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)

Lotação limitada