Moro entregou projeto a Maia em 19 de fevereiro – Foto: Divulgação/J.Batista/Câmara dos Deputados

Apesar de classificar como ‘importante’ o projeto anticrime apresentado pelo Ministro da Justiça, Sergio Moro, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), destacou que a proposta foi copiada e colada de uma matéria já apresentada pelo agora ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Alexandre de Moraes.

O deputado, de acordo com matéria divulgada pelo Jornal Folha de São Paulo, demonstrou irritação com o ministro ter declarado que a proposta anticrime deveria tramitar ao mesmo tempo que a reforma da previdência, o que era ‘desejo do governo’.

Segundo a matéria, Moro enviou mensagem durante a madrugada cobrando que Maia desse celeridade no pacote anticrime, apresentado pelo ministro ao Congresso em fevereiro. No texto, o ministro teria acusado o deputado do DEM de descumprir um acordo. Em resposta ríspida, Maia pediu a Moro respeito e afirmou que era ele o presidente da Câmara, cargo que tem a atribuição de definir a pauta de votações da Casa. A aliados o deputado disse ainda que o ministro estava sendo inconveniente pelo gesto e que não havia descumprimento nenhum de acordo.

“O funcionário do presidente Bolsonaro? Ele conversa com o presidente Bolsonaro e se o presidente Bolsonaro quiser ele conversa comigo. Eu fiz aquilo que eu acho correto (na tramitação da proposta de Moro). O projeto é importante, aliás, ele está copiando o projeto direto do ministro Alexandre de Moraes. É um copia e cola. Não tem nenhuma novidade, poucas novidades no projeto dele”, disparou Rodrigo Maia.

O ministro da Justiça entrou em contato com o presidente da Câmara com intenção de interferir, segundo deputados, na pauta legislativa, com o desejo de antecipar a votação da proposta de moro.

“O presidente Bolsonaro é quem tem que dialogar comigo. Ele está confundindo as bolas, ele não é presidente da República, ele não foi eleito para isso. Está ficando uma situação ruim para ele. Ele está passando daquilo que é a responsabilidade dele. Ele nunca me convidou para perguntar se eu achava que a estrutura do ministério estava correta, se os nomes que ele estava indicando estavam corretos”, alfinetou Maia.

Ainda segundo a Folha, o deputado carioca também criticou as recentes declarações do próprio presidente Jair Bolsonaro (PSL), de que congressistas fazem ‘pressão por cargos’, e disparou que o governo não decidiu qual relação quer manter com o legislativo.

“Eu acho engraçado. Quando dizem que o Parlamento quer indicar alguém no governo é toma lá da cá. Quando eles querem indicar relator aqui e interferir no processo legislativo não é toma lá da cá?”, disse à Folha um irritado Maia.