Mães apelam a Marçal por abertura de Ceim no Ildefonso Pedroso

Vereador diz que fará o papel de vereador, de fiscalizar e de cobrar a administração, pois a abertura depende exclusivamente da vontade da Prefeitura

Vereador se reuniu com mães em frente a Ceim que está pronto e sem data para entrar em funcionamento – Foto: Assessoria

Preocupadas com a possibilidade do Ceim do Ildefonso Pedroso não abrir as portas a partir do segundo semestre letivo, várias mães procuraram o vereador Marçal Filho (PSDB) para reclamar sobre o prédio que está pronto e que a Prefeitura de Dourados não se posicionou se irá receber as crianças ainda este ano.

O vereador esteve com as mães na tarde desta terça-feira (26) no Ceim, um prédio com oito salas de aulas localizado aos fundos do Ildefonso Pedroso. Entregue aos moradores em abril, o residencial conta com 512 apartamentos e grande parte das moradias tem pelo menos duas crianças.

Moradores questionam a falta de planejamento da administração municipal. Sabendo da entrega dos apartamentos, não se preocupou em preparar a entrega do Ceim e de um posto de saúde, localizado ao lado da escola. “Isso mostra que realmente não há planejamento na prefeitura”, concordou Marçal Filho.

Durante encontro com as mães, em frente ao Ceim, o vereador ouviu reivindicações. Muitas crianças que até pouco tempo frequentavam outras unidades escolares passaram a ficar sem estudar depois que mudaram para o Ildefonso. Outras que aguardavam com expectativa a abertura do Ceim correm grande risco de continuar sem saber o que é uma sala de aula.

As subsindicas do residencial, Patrícia Rodrigues e Cleida Almedo, estiveram reunidas no início da semana com o secretário de educação Upiran Gonçalves. Ele não informou se o Ceim entrará em funcionamento no segundo semestre letivo. “Estamos sem resposta”, afirmaram as subsindicas.

Ceim construído e sem entrar em funcionamento não é novidade na administração municipal. Em dezembro do ano passado a Prefeitura inaugurou a unidade do jardim Colibri. Marçal também esteve no local e cobrou a abertura. A prefeitura não pode reclamar sobre falta de educadores, já que há uma grande lista de aprovados em concurso público e que apenas precisam ser convocados. Também há uma lista de aproximadamente três mil crianças a espera de vagas.

Marçal disse para as mães que fará o papel de vereador, de fiscalizar e de cobrar a administração municipal melhoria nos serviços públicos. “Não posso fazer promessa de funcionamento do Ceim e do posto de saúde, pois a abertura depende exclusivamente da vontade da administração municipal”, explicou o vereador.

As subsindicas ainda relataram que o secretário de saúde, Renato Vidigal, disse que o posto seria aberto daqui a duas semanas, embora não há mobiliário no local. Marçal reafirmou que acompanhará o caso e cobrará da prefeitura o funcionamento da unidade.

O vereador tem abraçado a luta dos moradores do Ildefonso e dos bairros vizinhos Dioclécio Artuzi e Harrison de Figueiredo. Na próxima sexta-feira (29) será inaugurada a escola estadual Vereador Moacir Djalma Barros, no Dioclécio. Por ser do Estado, a unidade terá séries a partir do 6º ano. Marçal solicitou ao governador Reinaldo Azambuja uma extensão para que no local sejam oferecidas as séries iniciais, 1º ao 5º anos, maior demanda de vagas naquela região.