Decisão foi anunciada um dia após acordo com parte da oposição

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro – Foto: ANSA

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse nesta quarta-feira (18) que está disposto a retomar o processo de diálogo com a oposição liderada pelo autoproclamado presidente Juan Guaidó.

Durante discurso transmitido na TV estatal, o líder chavista afirmou que também está disponível a “apoiar as iniciativas” que o governo da Noruega, responsável por intermediar as conversas, havia proposto. “Quando o governo norueguês quiser nos convidar para uma reunião para retomar os pontos de diálogo que temos com eles, estamos prontos para intervir, a qualquer momento, em qualquer lugar, sempre prontos para o diálogo, negociação e acordos”, afirmou.

O chefe de Estado venezuelano ainda lembrou que Caracas recebeu na última segunda-feira (16) uma delegação norueguesa que teve contato com o governo e a oposição. “Vamos ver que iniciativa surge, o que posso garantir à Noruega é todo o apoio das forças revolucionárias às iniciativas que eles desejam fazer”, acrescentou Maduro.

Apesar da abertura ao diálogo por parte do chavista, Guaidó, reconhecido por mais de 50 países, incluindo os Estados Unidos, como presidente interino, chegou a dizer recentemente que “o mecanismo de diálogo em Barbados estava esgotado”. O líder da oposição denunciou que o regime abandonou o processo depois de sua delegação “apresentar propostas sobre a formação de um conselho governamental de transição, pluralista e equilibrado, integrado por todas as forças políticas do país, entre elas a Força Armada Nacional”.

No entanto, Maduro, que tem acusado Guaidó de manter relações com paramilitares e traficantes de drogas colombianos, ressaltou que o presidente da Assembleia é o “líder da oposição imposto pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump”, que “não respeitou nenhum dos compromissos assumidos” na ilha de Barbados. O diálogo entre as delegações de ambas as forças políticas do país teve início em meados de maio, mas foi suspenso em agosto por Maduro após o bloqueio total imposto pelos Estados Unidos aos ativos venezuelanos no território norte-americano. Ontem(17), porém, o governo de Maduro e parte da oposição moderada anunciaram que chegaram a um acordo para a constituição de uma “mesa de diálogo nacional”, a fim de encontrar uma solução para a crise política e consolidar a paz. Em seu discurso, o presidente da Venezuela elogiou o tratado assinado com outros quatro partidos minoritários da oposição.

Da AnsaFlash