Macron celebra histórico resultado nas eleições legislativas

Pleito teve abstenção recorde e ‘desastre’ para socialistas

O presidente da França, Emmanuel Macron, comentou nesta segunda-feira (12) o estrondoso sucesso de seu partido, o República em Marcha (LRM), nas eleições legislativas deste domingo (11).

Em entrevista ao canal “France 2”, o porta-voz do governo, Christopher Castaner, afirmou que Macron ficou “feliz” com o sucesso, mas ressaltou que eu governo tem que focar “no trabalho” para aprovar as reformas no país.

O pleito desse domingo, segundo projeções de institutos franceses, deve dar entre 415 e 455 assentos na Assembleia Nacional para a sigla do presidente no segundo turno – sendo que a Casa tem 577 vagas disponíveis. Em percentual, o LRM – que fez coligação com o Movimento Democrático (MoDem) – teve 32,3% dos votos.

Já a coligação de direita liderada pelo tradicional Os Republicanos ficou na segunda posição das projeções, com 21,5%, e deve obter entre 70 e 110 deputados.

A sigla ultranacionalista Frente Nacional, da candidata derrotada nas eleições presidenciais Marine Le Pen, teve uma redução drástica no pleito e ficou com 13,2% dos votos, o que deve resultar entre 2 e 5 deputados. Nem Le Pen conseguiu se eleger em primeiro turno.

Mas, o “desastre” eleitoral ficou por conta do Partido Socialista, que detinha o poder na França até a posse de Macron.

A sigla – que fez coligação com outras três legendas – obteve apenas 9,5% dos votos e deve ter entre 20 e 30 deputados.

Se confirmado, o resultado fará com que o partido perca cerca de 200 deputados na Assembleia Nacional e se torne uma força minoritária dentro do poder francês.

Apenas 4 eleitos em primeiro turno

Apenas quatro deputados foram eleitos, efetivamente, ontem.

Sylvain Maillard, de Paris, e Paul Molac, de Morhlan, ambos LRM, além de Napole Polutélé e Stéphane Demily já garantiram suas vagas na Assembleia.

É o menor número na comparação com as últimas duas eleições legislativas. Em 2012, 36 foram eleitos na primeira votação e 110 se elegeram em 2007 no primeiro turno.

O segundo turno está marcado para o dia 18 de junho.

Abstenção

Apesar da força mostrada pelo LRM, outro fato que chamou muita atenção foi a abstenção recorde: 51,29% dos mais de 47 milhões de franceses aptos ao voto não foram às urnas. O resultado é o mais alto desde o início da Quinta República.

Da AnsaFlash