Caso se refere a negócios de construtora na Guiné Equatorial

A Força Tarefa da Operação Lava Jato denunciou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por lavagem de dinheiro em negócios na Guiné Equatorial, país da África Subsaariana.

Segundo a denúncia, o petista teria recebido R$ 1 milhão para intermediar discussões entre o governo do país africano e a empresa de construção civil ARG. A quantia teria sido dissimulada em forma de doações ao Instituto Lula entre setembro de 2011 e junho de 2012.

Também foi denunciado o controlador do grupo ARG, Rodolfo Giannetti Geo, por tráfico de influência e lavagem de dinheiro.

Lula também seria acusado pelo primeiro crime, mas, por ele ter mais de 70 anos, o delito prescreveu.

De acordo com o Ministério Público Federal, a empresa pediu que Lula interviesse junto ao presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang, para garantir negócios no país. A denúncia se baseia em emails encontrados nos computadores do Instituto Lula.

O ex-presidente já foi condenado em segunda instância a 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no “caso triplex”. Lula ainda é réu em outros sete processos, sendo que já foi absolvido em um deles em primeiro grau.

Da AnsaFlash