Empresário é suspeito de ter usado informação privilegiada

A Justiça Federal em São Paulo determinou o bloqueio de R$ 800 milhões das contas do empresário Joesley Batista, dono do frigorífico JBS.

A decisão liminar foi tomada pelo juiz Tiago Bitencourt De David, da 5ª Vara Federal Cível, no último dia 30 de maio, como parte da ação que investiga Joesley por suposto uso de informação privilegiada.

Pouco antes do vazamento da delação premiada de Joesley, que atingiu em cheio o presidente Michel Temer e provocou caos no mercado financeiro, a JBS comprou cerca de US$ 1 bilhão. No dia seguinte, em meio à repercussão da denúncia envolvendo o peemedebista, a moeda norte-americana teve alta de mais de 8%.

A ação contra Joesley na Justiça Federal é movida pelo advogado Hugo Flizer Chaves Neto, que queria o bloqueio de R$ 10 bilhões e que a medida também atingisse Wesley Batista, o outro dono do frigorífico.

A suspeita é de que os irmãos tenham usado informação privilegiada – a data do vazamento da delação – para comprar dólares e ainda lucrar com o escândalo envolvendo sua própria empresa. O caso também é investigado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Da AnsaFlash