Justiça do DF amplia bloqueio de bens da família Batista, dona do grupo J&F

Juiz estendeu bloqueio a pai, irmão e outros familiares de Joesley e Wesley Batista. PF solicitou retenção argumentando que bloqueio anterior era inferior ao suposto prejuízo ao BNDESPar.

O juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília, autorizou um bloqueio maior de bens e valores da família Batista. A decisão foi tomada no âmbito da operação Bullish, que investiga se o BNDES favoreceu o grupo J&F em operações financeiras.

A Justiça já havia determinado o bloqueio de R$ 60 milhões da família Batista, no entanto, a Polícia Federal (PF) argumentou que os valores retidos eram muito inferiores ao suposto prejuízo de R$ 1,2 bilhão que os irmãos Joesley e Wesley Batista causaram ao BNDESPar, a divisão de investimento em participações em empresas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Além dos irmãos Joesley e Wesley Batista – sócios do grupo J&F – o magistrado do Distrito Federal determinou o bloqueios de valores disponíveis em contas correntes, fundos de investimentos e ativos em instituições financeiras de:

  • José Batista Sobrinho – pai de Joesley e Wesley
  • José Batista Junior – irmão de Joesley e Wesley, conhecido como Júnior Friboi
  • Vivianne Mendonça Batista, Vanessa Mendonça Batista e Flora Mendonça Batista – parentes com ligação nas empresas da família Batista
  • J&F Investimentos S/A
  • J&F Participações
  • ZMF Participações

Nesta quinta-feira (5), a Justiça de Mato Grosso do Sul também determinou bloqueio de bens da J&F Investimentos, no valor de R$ 116 milhões. O objetivo é garantir recursos para possível ressarcimento dos cofres públicos do estado.

O bloqueio se refere a um dos Termos de Ajuste de Regime Especial (Tares) que não teriam sido cumpridos pela empresa em troca dos incentivos fiscais no Mato Grosso do Sul.

Do G1