Jovem invade creche em Santa Catarina e mata 2 professoras e 3 crianças

Crime aconteceu em creche de Saudades (SC) – Divulgação/Imprensa do Povo/Divulgação ND

Ataque ocorreu na manhã desta terça (4) no município de Saudades, no oeste de Santa Catarina. Agressor está hospitalizado

Um adolescente de 18 anos invadiu uma creche do bairro Industrial em Saudades, cidade no oeste de Santa Catarina, e matou pelo menos duas professoras e três crianças com um facão, na manhã desta terça-feira (4). A informação do ataque foi confirmada pela Polícia Militar de Chapecó e pela Secretaria Municipal de Educação do município. As informações são do R7.

O ataque ocorreu na Escola Infantil e Berçário Pró-Infância Aquarela que atende alunos de seis meses a dois anos de idade. As crianças, duas meninas e um menino, completariam dois anos no segundo semestre deste ano, informou ao R7 a secretária de educação da cidade, Gisela Hermann. Elas foram identificadas como Ana Bela, Sara Luisa e Murilo.

De acordo com Gisela, nesta manhã, no momento do ataque, cerca de 30 pessoas estavam na creche.

Ela relata que, assim que soube da notícia, foi uma das primeiras pessoas a chegarem no local. “Muito sangue. É uma cena de terror, de horror… fiquei muito abalada”, afirmou a secretária à reportagem.

Segundo os bombeiros, uma professora morreu no local e outra chegou a ser levada ao Hospital Regional do Oeste, de Chapecó, em estado grave, mas não resistiu.

O autor do ataque tentou suicídio ao golpear o próprio pescoço, abdome e tórax, e está em estado gravíssimo, informou a Polícia Militar catarinense. Após a invasão, foi conduzido ao hospital do município de Pinhalzinho, a 11 km de Saudades. Ele recebe atendimento sob escolta policial.

Repercussão

A governadora interina de Santa Catarina, Daniela Reinehr, lamentou o ataque e prestou uma homenagem às vítimas. Reinehr decretou luto oficial de três dias no estado.

“É uma tragédia, algo que não é habitual no nosso Estado. Eu mesma não lembro de termos vivido algo semelhante e lamentável”, afirmou.

O major Ademir Barcarollo, comandante do 2º BPM de Chapecó, também se mostrou consternado com o ocorrido. “É uma tragédia”, disse ele.

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.