Dourados/MS, 23 de novembro de 2017 - Agora:16:39
Home | Moda/Famosos | Osklen – Outono/Inverno 17
Publicada em 14 de março de 2017 às 16:00

Osklen – Outono/Inverno 17

Osklen - Outono/Inverno 17 - Foto: Marcio Madeira

Osklen – Outono/Inverno 17 – Foto: Marcio Madeira

A participação de Oskar Metsavaht no exercício criativo do filme Soundtrack foi o ponto de partida para a construção do Inverno 17 da Osklen. A inspiração não veio do filme em si, mas do próprio conceito e do roteiro em evolução, que foram criando um imaginário bastante rico enquanto os autores e diretores preparavam suas equipes de filmagem (cenógrafos, fotógrafos, figurinistas e artistas). Oskar e sua equipe de design desenvolviam paralelamente sua proposta para a temporada, tanto o filme quanto a coleção surgiram ao mesmo tempo.

As referências visuais – colhidas em uma viagem à Islândia -, somadas às leituras do roteiro, foram se desenrolando nos elementos de cor, formas e texturas da coleção.

Trama
O filme retrata um artista que parte para uma temporada em uma estação científica de pesquisa na Antártida em busca de um novo significado para sua arte.

Metaforicamente, essa mesma atmosfera marcou o princípio do processo criativo de Oskar Metsavaht. Preparando-se para uma expedição científica nos Andes no final dos anos 80, o diretor criativo da Osklen desenvolveu sua primeira peça, um casaco utilitário de neve. Atuando como ortopedista na época, seu conhecimento em anatomia e ergonomia, aliado às suas habilidades artísticas, já indicavam o caminho futuro da Osklen.

A ciência, a arte e a natureza presentes no roteiro do filme estabelecem uma sinergia com o início da história da marca e de Oskar Metsavaht como artista.

Cartela de cor: off white, rosa claro, azul claro, cinza mescla, preto, areia, café, amarelo, laranja e azul royal.

Estampas: Daybreak, Interference, Script, Frost

Matéria-prima: tricoline, sarja, veludo, georgette de seda pura, tricot de rayon, cashmere e os e-fabrics – tricot de alpaca, tyvek, moletom pet e pirarucu

Silhueta: looks compostos por sobreposições que contrastam formas fluidas e estruturadas. Destaque para os moletons, parkas e anoraks oversized.

Ficha técnica
Direção criativa: Oskar Metsavaht
Direção de moda: Juliana Suassuna
Fashion marketing: Nelson Camargo
Styling: Pedro Sales
Beleza: Amanda Schon
Trilha: Gomus

e-Fabrics
Idealizado por Oskar Metsavaht, o Instituto-E, em seu papel de comunicar à sociedade novas alternativas de consumo consciente, elaborou através do projeto e-fabrics critérios de avaliação de materiais sustentáveis a serem utilizados pela cadeia da moda e pela indústria têxtil. Atualmente recebem o selo E-fabrics mais de 20 diferentes categorias de materiais de origens recicladas, orgânicas, naturais e/ou artesanais e desenvolvidas por comunidades, cooperativas ou por grupos industriais.

O objetivo do Instituto-E é o de incentivar o reconhecimento do Brasil como o país do desenvolvimento sustentável.

PIRARUCU: O pirarucu é um peixe destinado fundamentalmente à alimentação. A pele não é aproveitada e, ao ser descartada, ocasiona poluição biológica. A captura do pirarucu respeita às leis ambientais e aos períodos de procriação. O processo de curtimento do Bio-leather desses peixes é feito com corantes naturais, evitando o uso de sais de cromo – componente tóxico e poluente.

TRICOT DE ALPACA: Opção natural e sustentável, proporciona máximo conforto com fio de alta qualidade. Essa é uma fibra natural, coletada de alpacas, e pode ser leve ou pesada, dependendo de como é tecida. Embora semelhante à lã de ovelha, é mais quente, não espinhosa e sem lanolina, o que a torna hipoalergênica. Naturalmente repelente de água e dificilmente inflamável.

TYVEK: O tyvek é um material empapelado, leve, flexível e resistente à água. Considerado um dos “tecidos do futuro”, ele é um polietileno desenvolvido por um processo que utiliza menos energia que os demais materiais sintéticos, 100% reciclável e atóxico.

MOLETOM PET: Esse é um e-fabric exclusivo desenvolvido pela Osklen, que contribui para a preservação da biodiversidade e o desenvolvimento sustentável do planeta. As garrafas pet são compostas por um material de difícil decomposição no meio ambiente e responsáveis por 30% dos resíduos sólidos coletados nos municípios brasileiros. A partir de seu fio reciclado, foi desenvolvido esse moletom de matéria-prima ecológica.