Engenheiro-químico Eduardo Falabella será um dos palestrantes do workshop – Divulgação

Em virtude da alta competitividade florestal, a produção de celulose desponta no município de Três Lagoas (MS) está consolidada graças à atuação das gigantes multinacionais Fibria e a Eldorado. Dessa evolução do segmento, surge a necessidade de pesquisas e parcerias, resultando em tecnologias que possam ser adotadas pelas papeleiras locais.

Pensando nessa demanda crescente da indústria da celulose, o Senai de Mato Grosso do Sul convidou o engenheiro-químico Eduardo Falabella para ser um dos palestrantes do “Workshop Internacional de Inovação em Biomassa”, que será realizado pelo Instituto Senai de Inovação em Biomassa (ISI Biomassa) nos dias 14 e 15 de março. Ele vai apresentar a estrutura do espaço, localizado em Três Lagoas, a potenciais clientes e instituições de ensino e pesquisa parceiras.

Experiência

Com a palestra “Biorrefinarias Integradas”, Eduardo Falabella, que conta com 40 anos de experiência no campo da catálise e dos processos catalíticos, falará sobre a aplicação de resíduos de biomassa dentro desse conceito de forma a integrá-las às plantas de celulose. “Trata-se de um conceito novo e tais resíduos sofrem inúmeras transformações químicas, gerando produtos de alto valor agregado”, garantiu.

Ele acredita que o evento será uma excelente vitrine para aqueles que trabalham com conversão de biomassa. “O Workshop vai permitir que haja uma interação entre o setor produtivo e as unidades de pesquisa e desenvolvimento”, pontuou. 

Palestras

Para o Workshop, a área técnica do ISI Biomassa selecionou oito diferentes temas para demonstrar oportunidades e formas de atuação para promover a competitividade da indústria brasileira, se valendo da transferência de conhecimento, investigação e inovação aplicada. Além das “Biorrefinarias Integradas”, também serão abordadas a “Indústria 4.0 na Química e Biotecnologia – Projeto Midas – Transformando Resíduo em Ouro”, potencial da transformação da biomassa em energia, agenda de inovação no Brasil na área de renováveis, patentes na área de renováveis, desafios da biotecnologia na transformação de biomassa, incentivos à inovação no Brasil e tendências na biotecnologia.

Para abordar estes assuntos também foram convidados especialistas de renome internacional, como o professor Donato Aranda, que coordena o Procat (Unidade Protótipo de Catalisadores), maior centro de plantas piloto em catálise na América Latina, o engenheiro químico Georg Weinberg, o químico Claudio Luis Donnici, o presidente-executivo da ABBI (Associação Brasileira de Biotecnologia Industrial), Bernardo Silva, o professor Florent Allais, da AgroParisTech, que fica em Paris, na França, o professor emérito da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), Nei Pereira Júnior, que é PhD em Biotecnologia, e o engenheiro-mecânico Ricardo Alan Verdú Ramos.