Irã anuncia primeiras prisões por abatimento de avião

Identidades dos suspeitos não foram divulgadas

O Irã anunciou nesta terça-feira (14) a prisão de “algumas pessoas” no inquérito sobre o abatimento do voo 752 da Ukraine International Airlines, derrubado pelo sistema de defesa antiaérea do país enquanto voava de Teerã a Kiev.

“O Irã iniciou um inquérito amplo sobre o avião ucraniano, e algumas pessoas foram presas nas últimas 72 horas”, disse o porta-voz da Justiça iraniana, Gholamhossein Esmaili, em entrevista a uma emissora estatal.

Ele, no entanto, não divulgou o número exato de suspeitos detidos nem suas identidades. “O Estado-Maior das Forças Armadas, que está encarregado das investigações, interrogou muitas pessoas”, acrescentou.

Esmaili ainda anunciou que as caixas-pretas do Boeing 737-800 serão enviadas para análise na França, país onde foram fabricados os motores do avião.

A aeronave da UIA levava 176 pessoas e foi abatida pelo sistema de defesa antiaérea do Irã, que o confundiu com um míssil americano, na madrugada da última quarta (8). O governo iraniano admitiu o erro “desastroso” e prometeu punir os responsáveis.

Todos a bordo morreram, incluindo 82 iranianos, 63 canadenses, 11 ucranianos, 10 suecos, quatro afegãos, três britânicos e três alemães. “Para nosso povo, é muito importante que todo mundo que tenha errado ou sido negligente enfrente a Justiça. Quem tiver de ser punido deve ser punido”, disse o presidente Hassan Rohani.

O episódio ocorreu na mesma madrugada em que o Irã lançou mísseis contra duas bases militares dos EUA no Iraque, em resposta à morte do general Qassem Soleimani em um bombardeio americano.

Da AnsaFlash