Calor ajuda a propagar chamas e aumenta as áreas devastadas, o que deve garantir um recorde em 2019 em áreas queimadas – Foto: Arquivo/Bombeiros

A partir das 11h54 desta sexta-feira, 21, é oficialmente inverno no Brasil, mas por aqui, a estação deve ser mais quente que o normal, segundo previsão do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). Em toda a região Centro-Oeste, os termômetros não devem cair muito.

A estreia da estação será de sexta-feira de temperatura entre 16°C e 31°C graus em Campo Grande, com friozinho chegando bem devagar. “A previsão para o inverno indica alta probabilidade das chuvas ocorrerem ligeiramente abaixo da média climatológica em grande parte da região acompanhado de temperaturas acima da média, devido a permanência de massas de ar seco e quente”, explica o Inmet.

Segundo o Campo Grande News, nos primeiros 10 dias de inverno em Campo Grande a menor temperatura deve ser registrada no dia 29 de junho. A previsão é de 12ºC graus de mínima e 22ºC de máxima, mas com sensação térmica menor, porque deve chover após quase 1 mês de seca na Capital.

No interior, também no dia 29, o frio com maior intensidade deve ocorrer em Ponta Porã, com 10ºC graus e Corumbá, onde os ponteiros podem registrar 11ºC graus.

Mas até o fim do inverno, o frio se instala de forma mais acentuada nas cidades de Ponta Porã, Amambaí, Dourados, Paranhos, Eldorado, Mundo Novo, Maracaju, Rio Brilhante e Sete Quedas, que podem registrar números entre 5ºC a 0ºC grau.

Também estão previstas ocorrências de geadas, nevoeiros e névoa úmida, principalmente, nas regiões sul e sudeste do Estado.

Queimadas – Para quem gosta de temperatura alta, mesmo no inverno, os especialistas lembram que essa não é uma condição favorável a locais que sofrem com efeitos das queimadas. O calor ajuda a propagar as chamas e aumenta as áreas devastadas, o que deve garantir um recorde em 2019 em áreas queimadas.

Este ano, em todo o Mato Grosso do Sul, o Corpo de Bombeiros realizou 2.121 atendimentos de combate aos incêndios florestais, aqueles que necessitam de intervenção imediata. No ano passado, de janeiro a dezembro, essa quantidade foi de 4.610 ocorrências.

Atear fogo é crime

O uso de fogo é crime previsto em lei e prevê sanções penais e administrativas para quem comete condutas e atividades lesivas ao meio ambiente. Provocar incêndio em mata ou floresta pode dar prisão de dois a quatro anos, além de multa, diz a legislação.

Denúncias de queimada urbana podem ser feitas diretamente na Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e Proteção ao Turista (Decat), localizada na Rua Sete de Setembro, 2.421, na Capital, ou pelo telefone (67) 3325-2567. Existe um plantão 24 horas para atender o cidadão.

Casos de ocorrência de fogo em terrenos sem autorização ambiental e com autor conhecido podem ser denunciado ao Batalhão de Polícia Militar Ambiental (PMA), que está localizado na Avenida Mato Grosso, Jardim Veraneio, em Campo Grande, ou pelo telefone (67) 3357-1501.