A ICF (Intenção de Consumo das Famílias) de Campo Grande apresentou a quarta queda consecutiva, no mês de agosto, conforme mostra pesquisa da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo). De 97,8 pontos em julho, o índice caiu para 95,6 pontos neste mês.

Dos sete indicadores apurados, apenas três apresentaram índices positivos: o nível de consumo atual (6,1%), momento para duráveis (4,1%) e renda atual (1,2%). O menor índice foi registrado pela perspectiva de consumo (-8,7%), seguido pela perspectiva profissional (-5,8%), compra a prazo (acesso ao crédito), também com -5,8%, e emprego atual (-2,1%).

Ainda segundo a pesquisa, a maioria dos consumidores acredita que o consumo nos próximos meses será igual ao mesmo período do ano passado (56,8%). Já em relação à renda atual, 52,1% afirmam que está igual e 27,8% disseram estar melhor, na comparação a 2018.

“O consumidor está receoso de gastar, diante de um cenário econômico instável para o País. Um dado interessante é o nível de consumo atual, que registrou o maior índice positivo da pesquisa e isso pode ser um indicativo de que em breve o consumidor retome seu poder de compra”, afirma a economista do Instituto de Pesquisa da Fecomércio-MS (IPF-MS), Daniela Dias.