Laboratório já está em fase final de implantação – Assessoria

A região que engloba os municípios de Maracaju e Dourados está prestes a ganhar mais um espaço para melhorar a competitividade da agroindústria de Mato Grosso do Sul. O IST Alimentos e Bebidas (Instituto Senai de Tecnologia em Alimentos e Bebidas) contará com um laboratório para análise da qualidade de sementes, que já está em fase final de implantação e deve entrar em funcionamento ainda no primeiro semestre deste ano.

“O espaço fará parte do complexo laboratorial do LabSenai Alimentos e Bebidas, sendo que os equipamentos, reagentes e utensílios já estão em nossa estrutura física, aguardando uma auditoria interna para o envio da documentação para o credenciamento no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Após o recebimento da documentação, precisaremos aguardar o posicionamento do Mapa para o início da oferta dos serviços”, afirmou o diretor-regional do Senai, Rodolpho Caesar Mangialardo.

Ele informou que a ideia de construir o laboratório de análise de sementes vem ao encontro de uma demanda da agroindústria da região, que já tinha manifestado uma preocupação com a qualidade dessas sementes, vindas em grande maioria da Região Sul do Brasil.  “Começamos a estudar e identificamos que há uma série de características que precisam ser confiáveis para que a produtividade dos grãos seja garantida. Por isso, decidimos construir um laboratório para ajudar a agroindústria, podendo também prestar serviço à cadeia de produção de grãos de todo o Estado”, explicou.

Poderão contratar os serviços do laboratório de sementes empresas produtoras de sementes, cooperativas revendedoras, produtores de grãos que queiram atestar o vigor e qualidade do material genético adquirido para controle de qualidade de sua lavoura, empresas de produtos agroquímicos e obtentores de cultivares e pesquisadores. Para atender essa demanda, o laboratório está estruturado com equipamentos de alta tecnologia e performance para que o melhor resultado seja atingido e conta com equipe qualificada e treinada para executar os ensaios.

Segundo a coordenadora do LabSenai Alimentos e Bebidas, Daniela Menegat, incialmente, serão realizados serviços de análises laboratoriais em sementes de milho e soja, como determinação de pureza e verificação de outras cultivares, determinação de outras sementes por número, determinação do grau de umidade, teste de germinação, teste de vigor envelhecimento acelerado, teste de peroxidase e uniformidade, além de peso de mil sementes. “As análises serão realizadas de acordo com metodologias oficiais descritas nas regras de análise de sementes publicadas pelo Mapa”, avisou.

O responsável técnico do LabSenai Alimentos e Bebidas, Edilson Cardoso de Oliveira Junior, completa que as sementes puras apresentam alta qualidade física e genética. “A pureza física implica na ausência de impurezas tais como: palhas, folhas, sementes de plantas daninhas, sementes de outras culturas, etc. A pureza genética implica que o lote de sementes contenha apenas sementes com características conhecidas da variedade ou cultivar em análise”, detalhou.

Ele acrescenta que o primeiro passo em direção ao máximo rendimento das culturas é obtido por meio de uma população recomendável de plantas, que requer que sementes de alta qualidade sejam semeadas. “O sucesso de uma lavoura depende de diversos fatores, mas, sem dúvida, o mais importante deles é a utilização de sementes de elevada qualidade, que gere plantas de elevado vigor e desempenho superior de campo. O uso de sementes de elevada qualidade permite o acesso aos avanços genéticos, com as garantias de qualidade e tecnologias de adaptação nas diversas regiões produtoras”, concluiu.