Recuperação é fruto de alteração na lei de parcelamento e uso do solo que permite reverter doação de área institucional em serviços

Prefeita visitou o início das obras e ressaltou que o trabalho administrativo tem apresentado frutos para a população – Foto: A. Frota

Foi iniciada na manhã desta terça-feira (26) a obra de reperfilamento de 2,7 quilômetros da rua Cuiabá e trecho da rua Joaquim Alves Taveira, em Dourados. As obras são consequência de um projeto do Executivo enviado e aprovado na Câmara de Vereadores recentemente, permitindo que, ao invés de fazer a doação de áreas institucionais em condomínios fechados, as empreiteiras compensem o município com repasse financeiro ou por meio de prestação de serviços.

A prefeita Délia Razuk, que assinou as ordens de serviço, visitou as obras e ressaltou a ideia deste projeto que se traduz em obras para a cidade. “Estou muito feliz porque esta alteração a lei foi proposta pelo Executivo e é muito importante que reflita em benefício para toda a população”, disse, demonstrando satisfação em autorizar mais uma melhoria para a população com recursos próprios que totalizam R$ 4,26 milhões nesta primeira etapa.

Conforme explica o secretário de Planejamento, Carlos Dobes, a alteração proposta pelo Executivo ocorreu em trecho da lei de parcelamento e uso do solo. “Antes, as empresas que instituem os condomínios fechados tinham que doar uma área institucional. Agora, esta doação pode ser compensada com repasse financeiro ou por serviço prestado. São recursos próprios do município, uma vez que a Prefeitura receberia determinada área”, explicou.

A prefeita Délia reforçou a positividade da alteração. “Isto é fruto do nosso trabalho administrativo, via projeto apresentado pelo Executivo para trazer mais benefícios à infraestrutura douradense. Estou muito feliz por presenciar esse início de obra em uma das vias mais movimentadas com maior tráfego de veículos em Dourados”, disse a prefeita.

Nesta primeira etapa serão recuperados 2,7 quilômetros da rua Cuiabá, entre a rua Aquidauana e a rua Eulália Pires (nas duas mãos), e um trecho de aproximadamente 4 quadras na rua Joaquim Alves Taveira, entre a Presidente Vargas e a rua Hayel Bom Faker. O valor da obra é de R$ 4,26 milhões.

Mas a recuperação de ruas em Dourados não deve parar por aí. Segundo o secretário, trechos da rua Monte Castelo, uma das vias mais movimentadas na região sul da cidade, serão recuperados de forma intercalada, representando uma totalidade de quase 80% da rua. O secretário ressaltou ainda que as benfeitorias em serviços fruto da aplicação da Lei somam R$ 6 milhões.