Segundo o instituto, 7% não o conhecem o suficiente para opinar e 5% não sabem/não responderam. Levantamento foi feito entre os dias 17 e 19 e ouviu 2.002 eleitores em 142 municípios.

Pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (20)para a corrida presidencial fez a seguinte pergunta aos entrevistados: “Caso o candidato pelo PT, Lula, seja impedido de disputar a eleição para presidente da República e declare seu apoio a Fernando Haddad, o(a) sr(a) com certeza votaria em Fernando Haddad, poderia votar nele ou não votaria em Fernando Haddad de jeito nenhum?”

Eis o resultado:

· Com certeza votaria em Fernando Haddad: 13%

· Poderia votar nele: 14%

· Não votaria em Fernando Haddad de jeito nenhum: 60%

· Não o conhece o suficiente para opinar (esp.): 7%

· Não sabe/ Não respondeu: 5%

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “O Estado de S.Paulo”. É o primeiro levantamento do Ibope realizado depois da oficialização das candidaturas na Justiça Eleitoral.

De acordo com o instituto, os percentuais variam de acordo com alguns parâmetros, como escolaridade, renda familiar e região. Veja:

Escolaridade
Com certeza votaria em Fernando Haddad

· até a 4ª série do fundamental: 18%

· 5ª a 8ª série do fundamental: 15%

· ensino médio: 13%

· superior: 9%

Poderia votar nele

· até a 4ª série do fundamental: 15%

· 5ª a 8ª série do fundamental: 13%

· ensino médio: 14%

· superior: 13%

Não votaria em Fernando Haddad de jeito nenhum

· até a 4ª série do fundamental: 51%

· 5ª a 8ª série do fundamental: 58%

· ensino médio: 60%

· superior: 71%

Não o conhece o suficiente para opinar (esp.)

· até a 4ª série do fundamental: 8%

· 5ª a 8ª série do fundamental: 8%

· ensino médio: 8%

· superior: 4%

Não sabe/ Não respondeu

· até a 4ª série do fundamental: 9%

· 5ª a 8ª série do fundamental: 5%

· ensino médio: 5%

· superior: 4%

Renda familiar (em salários mínimos)
Com certeza votaria em Fernando Haddad

· mais de 5 salários: 8%

· mais de 2 a 5 salários: 11%

· mais de 1 a 2 salários: 15%

· até 1 salário: 17%

Poderia votar nele

· mais de 5 salários: 9%

· mais de 2 a 5 salários: 13%

· mais de 1 a 2 salários: 16%

· até 1 salário: 15%

Não votaria em Fernando Haddad de jeito nenhum

· mais de 5 salários: 79%

· mais de 2 a 5 salários: 61%

· mais de 1 a 2 salários: 58%

· até 1 salário: 53%

Não o conhece o suficiente para opinar (esp.)

· mais de 5 salários: 2%

· mais de 2 a 5 salários: 8%

· mais de 1 a 2 salários: 7%

· até 1 salário: 10%

Não sabe/ Não respondeu

· mais de 5 salários: 1%

· mais de 2 a 5 salários: 6%

· mais de 1 a 2 salários: 5%

· até 1 salário: 5%

Região
Com certeza votaria em Fernando Haddad

· Norte/Centro-Oeste: 10%

· Nordeste: 22%

· Sudeste: 11%

· Sul: 9%

Poderia votar nele

· Norte/Centro-Oeste: 15%

· Nordeste: 17%

· Sudeste: 12%

· Sul: 13%

Não votaria em Fernando Haddad de jeito nenhum

· Norte/Centro-Oeste: 62%

· Nordeste: 51%

· Sudeste: 65%

· Sul: 61%

Não o conhece o suficiente para opinar (esp.)

· Norte/Centro-Oeste: 9%

· Nordeste: 5%

· Sudeste: 6%

· Sul: 11%

Não sabe/ Não respondeu

· Norte/Centro-Oeste: 5%

· Nordeste: 5%

· Sudeste: 5%

· Sul: 6%

Sobre a pesquisa
· Margem de erro: dois pontos percentuais para mais ou para menos

· Quem foi ouvido: 2.002 eleitores em 142 municípios

· Quando a pesquisa foi feita: de 17 a 19 de agosto

· Registro no TSE: protocolo nº BR‐01665/2018

· O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro

Do G1

Deputado Zé Teixeira