HU-UFGD integra projeto colaborativo para reduzir taxas de infecção em UTIs

Representantes dos hospitais de Mato Grosso do Sul selecionados para o projeto, durante evento em São Paulo - Divulgação
Representantes dos hospitais de Mato Grosso do Sul selecionados para o projeto, durante evento em São Paulo – Divulgação

Assinatura da carta de intenção e treinamento das equipes aconteceram esta semana, em São Paulo

O Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados (HU-UFGD) é um dos 120 hospitais públicos do País que integram o mais recente projeto colaborativo lançado pelo Ministério da Saúde com o objetivo de melhorar as práticas para o cuidado da segurança do paciente nos hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS).

O documento de adesão ao projeto, uma carta de intenção, foi assinado no início desta semana, em São Paulo, pela superintendente Mariana Croda. “É mais uma conquista para nós, que já temos um trabalho significativo e todo um compromisso das nossas equipes com relação às práticas que visam a segurança do paciente”, comentou.

Com o plano “Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil”, a expectativa é reduzir em 50% as contaminações relacionadas à assistência à saúde no País, como a infecção da corrente sanguínea associada ao uso de cateter venoso central e a pneumonia associada à ventilação mecânica.

A medida prevê ainda redução de R$ 1,2 bilhão de gastos com tempo de permanência do paciente nos leitos e com a utilização de insumos. O projeto terá duração de três anos nos 120 hospitais escolhidos. O investimento total será de R$ 17 milhões em isenção fiscal.

O suporte técnico ao projeto será feito por seis hospitais de excelência envolvidos com o IHI (Institute for Healthcare Improvement): Hospital Alemão Osvaldo Cruz (SP); Hospital Beneficência Portuguesa (SP); Hospital do Coração (SP); Hospital Israelita Albert Einstein (SP); Hospital Sírio Libanês (SP) e Hospital Moinhos de Vento (RS). O HU-UFGD será referenciado pelo Hospital do Coração.

Em Mato Grosso do Sul, outras duas instituição também foram selecionadas para integrar o projeto: o Hospital Nossa Senhora Auxiliadora, de Três Lagoas, e o Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (HUMAP), da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), de Campo Grande, que, assim como o HU-UFGD, também é filial da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

A primeira etapa do treinamento das equipes integrantes da iniciativa também foi realizada em São Paulo, durante esta semana. “Temos muito trabalho pela frente, mas estamos empenhados em atingir todas as metas propostas para a primeira fase do projeto, que será desenvolvida ao longo de 180 dias”, disse a chefe do Setor de Vigilância em Saúde e Segurança do Paciente do HU-UFGD, enfermeira Angela Mendonça de Souza.

Pelo hospital, participaram ainda do treinamento o enfermeiro Fuad Fayez Mahmoud, chefe da Unidade de Vigilância em Saúde, o médico Hermeto Amin Paschoalick, o enfermeiro Tiago Amador Correia e o fisioterapeuta Alexandre Satoshi Inagaki, todos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Adulto.