A ação teve início com a panfletagem de material com dicas para o combate ao mosquito, feita nas recepções do hospital - Divulgação
A ação teve início com a panfletagem de material com dicas para o combate ao mosquito, feita nas recepções do hospital – Divulgação

Ações internas de conscientização tiveram início na última semana, após o lançamento do Plano Estadual de Contingência ao mosquito, pelo Governo de MS

O Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados (HU-UFGD) foi elencado como uma das instituições parceiras na recém-lançada ação de combate ao mosquito Aedes aegypti, que reúne órgãos públicos e privados, por iniciativa do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul.

Por meio da Sala de Situação Regional da Grande Dourados, o hospital participará das atividades de conscientização das comunidades interna e externa ao HU, além de ser membro do grupo que articulará ações e decisões em caso de possíveis surtos e/ou epidemias, ocupando papel relevante na prevenção às doenças ocasionadas pelo mosquito na região.

Diante disso, uma equipe interna foi formada, com representantes do Setor de Vigilância em Saúde e Segurança do Paciente, da Saúde Ocupacional e Segurança do Trabalho (SOST) e da Comissão de Biossegurança, contando com o apoio do Setor de Hotelaria Hospitalar.

Como primeira atuação, os apoiadores da campanha no HU-UFGD iniciaram a identificação do prédio com faixas afixadas nas áreas externas e deram início a um circuito de panfletagem com o material educativo produzido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). O objetivo é que outras ações sejam colocadas em prática e se estendam até o ano que vem, principalmente na temporada de chuvas, que é quando há maior proliferação do mosquito.

No folder, que está sendo entregue em todas as recepções do hospital, são apontadas sete importantes dicas na “Guerra contra o Mosquito”, como é denominada a campanha. Além disso, reforça ao leitor a mensagem de que todos são responsáveis pela erradicação do vetor e devem fazer sua parte.

Confira as dicas:

  1. Os mosquitos precisam de água parada para se reproduzirem. Por isso é tão importante não deixar água acumulada.
  2. Assim que o Aedes aegyptichega à fase adulta, começa a picar. Ao picar uma pessoa doente, passa a transportar o vírus por toda a sua vida.
  3. A fêmea do Aedes, estando infectada com Dengue, Zika ou Chikungunya – poderá transmitir a doença, através da picada a uma pessoa saudável.
  4. Fique atento aos principais sintomas de cada doença e procure imediatamente uma unidade de saúde.
  5. Fique em repouso e beba muito líquido.
  6. Para evitar que a doença apareça, todos devem colaborar, não deixando que o mosquito nasça.
  7. Alerte sua família e seus vizinhos. Combater o mosquito é um dever de todos.

Plano Estadual de Contingência ao Aedes aegypti

O Plano Estadual de Contingência ao Aedes aegypti foi lançado pelo Governo do Estado na última quinta-feira (23), em Campo Grande, por meio da SES. Na cerimônia, foi apresentado o plano, oficializando ações e estratégias de combate ao mosquito, e também houve a posse do Comitê Estadual de Combate ao Aedes aegypti, que conta com participação dos órgãos públicos e instituições privadas parceiras na ampliação das ações no enfrentamento à dengue e outras doenças.

Zika Zero

Nos últimos anos, o HU-UFGD tem se envolvido ativamente na prevenção às doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti. Em 2016 e 2017, a instituição seguiu o calendário de ações de combate instituído pelo Governo Federal e participou de campanhas como a “Zika Zero”, que teve adesão de todas as filiais da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). Entre as atividades desenvolvidas, está a eliminação dos potenciais focos do mosquito em inspeções à área do hospital.