HU-UFGD cumpre etapa de projeto para melhora da atenção ao parto e ao recém-nascido

Diagnóstico situacional foi apresentado à equipe local pela mediadora do Projeto Apice On, proposto pelo Ministério da Saúde em parceria com MEC, Fiocruz, IFF, Abrahue e UFMG

Reunião que marcou o cumprimento de mais uma etapa do projeto Apice On foi na manhã desta segunda-feira – Foto: Assessoria

Uma reunião na manhã desta segunda-feira (26), no auditório do Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados (HU-UFGD) marcou o cumprimento de mais uma etapa do projeto Apice On – Aprimoramento Inovação no Cuidado e Ensino em Obstetrício e Neonatologia. A mediadora do projeto, enfermeira obstetra Karine Gomes Jarcem, apresentou à equipe local e aos gestores do HU-UFGD o diagnóstico situacional da unidade, onde estão descritos todos os itens que o hospital já cumpre e aqueles aos quais precisa se adequar para se manter em acordo com os pressupostos, princípios e diretrizes do projeto.

O Apice On é uma iniciativa do Ministério da Saúde destinada a hospitais com atividades de ensino, em parceria com o Ministério da Educação (MEC), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Instituto Nacional Fernandes Figueira de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF), Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), Associação Brasileira de Hospitais Universitários e de Ensino (Abrahue) e Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que é a executora do projeto.

O objetivo do Apice On é qualificar os processos de atenção, gestão e formação relativos ao parto, nascimento e ao abortamento nos hospitais com atividades de ensino, incorporando um modelo com práticas baseadas em evidências científicas, humanização, segurança e garantia de direitos.

“A indissociabilidade entre o ensino e a assistência é um dos pilares da missão do HU-UFGD, e, portanto, participar de um projeto da magnitude do Apice On é fundamental para que continuemos a buscar a excelência no atendimento à saúde materno-infantil e na formação dos novos profissionais”, comentou o superintendente do HU-UFGD, Ricardo do Carmo Filho.

Fazem parte do projeto 96 hospitais que realizam atividades de ensino, incluindo Hospitais de Ensino, Hospitais Universitários e Unidades Auxiliares de Ensino, distribuídos nos 27 estados brasileiros. Estão incluídos todos os hospitais universitários federais e os hospitais de ensino que realizaram mais de mil partos em 2015, que aderiram à Rede Cegonha e recebem incentivos financeiros de custeio.