O São Paulo decidirá o título do Campeonato Paulista desfalcado, assim como aconteceu no último domingo, no jogo de ida contra o Corinthians, no Morumbi. Sem Pablo, que passará por cirurgia para a retirada de um cisto na coluna, e provavelmente sem Liziero, que se recupera de uma “alteração” no posterior da coxa esquerda, Hernanes pode se tornar a referência tricolor em Itaquera.

O meio-campista, entretanto, ainda não possui ritmo de jogo. Ele ficou quatro semanas afastado se tratando de um estiramento na coxa esquerda e só retornou aos gramados no último domingo, sendo acionado no segundo tempo do confronto com o Corinthians pelo técnico Cuca. Agora, a grande questão é se o treinador irá ignorar as barreiras físicas e escolher Hernanes como substituto de Liziero, peça-chave no esquema do São Paulo.

“Quanto à condição física, a semana ajuda, mas não é suficiente. Foram quatro semanas sem jogar e ainda sem poder treinar em alto nível. A condição vai melhorar, com certeza, mas somente os jogos e um pouco mais de jogos permitirão que eu alcance os 100%. Estamos melhorando, evoluindo”, afirmou Hernanes.

Apesar do déficit físico, o Profeta surge como favorito para a vaga de Liziero. No último domingo, Everton substituiu o camisa 14, embora tenha se acostumado a atuar como ponta esquerda. Ciente da importância de ter um atleta de origem no setor para enfrentar o Corinthians em Itaquera, Cuca pode acabar apostando na experiência de Hernanes, ainda que ele tenha características diferentes do garoto revelado em Cotia.

“A [posição] que eu entrei foi a que o Liziero desempenhou, o que muda é somente a interpretação minha e dele. Ele tem uma característica mais de toque de bola, de armação de jogada, que eu também tenho. Mas, a minha característica principal é a de chute de fora da área. Então, me aproximo um pouco mais. Mas, a posição, de fato, não mudou, porque estava no 4-3-3, então, somente a questão de interpretação”, prosseguiu Hernanes, que evitou responder o que faria se fosse o técnico Cuca.

“Por questão de destino, infelizmente ou felizmente, sou o Hernanes, não o Cuca. Então, vou me condicionar e me colocar à disposição para que o Cuca tenha a liberdade de escolher. Mas, o que importa, isso que é o legal, é quem chegou até a final, não foi uma pessoa. O grupo está fortalecido, quem começar jogando estará apto para ajudar e dar uma contribuição para o São Paulo, quem sabe conseguir uma conquista”, concluiu.

Da Gazeta Esportiva