Na noite dessa segunda-feira, a administradora do estádio do Palmeiras deu um passo importante para a troca do gramado na arena, mas ainda faltam detalhes para o anúncio

Negociações avançam para o Allianz Parque passar a ter gramado sintético a partir do ano que vem – Reprodução

Foi dado mais um passo importante para sacramentar a instalação de grama sintética no Allianz Parque. Em reunião na última segunda-feira, a WTorre, construtora e responsável pela administração da arena, chegou a acordo financeiro e técnico para a mudança no estádio do Palmeiras.

A informação foi publicada inicialmente pelo Uol.  O acordo é com a empresa Soccer Grass, representante no Brasil da GreenFields, marca holandesa que foi visitada no mês passado por uma comitiva com profissionais do Verdão e da WTorre. Da parte do Palmeiras, já há um acordo técnico e as conversas estão avançadas. Mas, em relação a todos os envolvidos, ainda faltam detalhes para sacramentar a negociação.

– O Allianz Parque esclarece que na noite da última segunda-feira (11) houve avanço nas negociações, chegando a um acordo técnico e financeiro com a empresa Soccer Grass, representante no Brasil da GreenFields, marca holandesa que produz o mais avançado sistema de grama sintética do mundo. No entanto, ainda existem outras etapas do acordo a serem concluídas, que impedem neste momento um anúncio oficial – informou a WTorre, em nota.

O valor não foi divulgado, mas é considerado elevado. A WTorre será a responsável por pagar o novo gramado do Allianz, enquanto o Palmeiras é quem investirá para mudar um dos campos da Academia de Futebol. O plano é que a troca ocorra para o começo de 2020.

O vice-presidente Alexandre Zanotta, o diretor de futebol Alexandre Mattos, o coordenador de fisioterapia Jomar Ottoni e o coordenador de infraestrutura e manutenção da arena Rojer Antunes conheceram diferentes gramados sintéticos na Holanda em outubro e ficaram animados. A grama sintética apresentada não é usada no Brasil e é considerada uma evolução em relação a da Arena da Baixada, do Athletico-PR, em Curitiba.

A ideia de realizar a mudança ganhou força, primeiro, por melhorar bastante o nível do campo da arena, que recebe muitos eventos além de partidas. Como acréscimo importante, daria a chance de o Verdão conseguir jogar em casa mesmo em duelos marcados próximos de shows, por não ser necessário investir tanto tempo na recuperação do campo.

Até por isso, a WTorre vê com bons olhos o uso do gramado sintético. Mesmo que tenha de realizar o investimento para trocar agora o campo, considera-se que haverá uma economia com a manutenção, pois o atual gramado do Allianz precisa de iluminação artificial e trocas constantes, parciais ou integrais. Ainda assim, o estado dele tem sido um problema recorrente.

Do Lance!