O Governo do Estado de Mato Grosso do Sul publicou, nessa sexta-feira (28), no Diário Oficial do Estado decreto que define novas regras para a paridade nas exportações de milho do estado, com vigência até 30 de junho de 2020. A medida anunciada atende às demandas do setor produtivo solicitadas em conjunto pela Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS e pela Aprosoja/MS – Associação de Produtores de Soja e Milho de MS.

Diante do cenário de supersafra brasileira, Mato Grosso do Sul, com previsão de 10,1 milhões de toneladas, perderia competitividade com os estados produtores concorrentes, dada a limitação causada pela paridade.

O presidente do Sistema Famasul, Maurício Saito, destaca que a iniciativa proporciona aos produtores possibilidade de incremento à comercialização. “Com 39% da safra negociada, a medida do Governo permite que o mercado possa ajustar os estoques e remanejar a produção tanto para o mercado interno quanto externo, garantindo melhores preços e maior rentabilidade ao produtor. É uma conquista para o setor que, consequentemente, irá alavancar a economia estadual”.

Para o presidente da Aprosoja/MS, Juliano Schmaedecke, a medida anunciada hoje atende os anseios dos agricultores sul-mato-grossenses, especialmente, diante da supersafra brasileira de milho. “Os principais produtores brasileiros deste cereal terão volumes de produção excedentes e o anúncio do Governo aumenta o poder de decisão do agricultor em relação ao que é mais interessante no momento da negociação do seu produto. Essa flexibilização permite maior comercialização internacional, em um momento no qual os preços estão atrativos”.

A medida foi resultado da demanda oficializada pelas instituições em maio deste ano, a partir do levantamento de campo, realizado pelo Siga/MS – Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio, que indicou excelentes produtividades na 2ª safra de milho 2018/19.

Clique no link e leia o decreto na íntegra. (https://bit.ly/2LqtUwL)