Governador discute integração de MS e Paraguai com embaixador e presidente da Fiems

Reinaldo Azambuja recebeu o embaixador Carlos Alberto Simas Magalhães nesta terça-feira – Foto: Chico Ribeiro
Reinaldo Azambuja recebeu o embaixador Carlos Alberto Simas Magalhães nesta terça-feira – Foto: Chico Ribeiro

Na pauta, formas de ampliar as relações do Estado com o país vizinho por meio de parcerias e projetos de integração modal.

O fortalecimento de laços envolvendo logística e parcerias empresariais de MS com o Paraguai foi tema de encontro do governador Reinaldo Azambuja com o embaixador do Brasil em Assunção e o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul (Fiems), na Governadoria na manhã desta terça-feira (22.8).

Presente na agenda, o secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica (Segov), Eduardo Riedel, destacou o esforço da Embaixada do Brasil no Paraguai no sentido de ampliar a integração com o país vizinho. Também lembrou dos programas que a Fiems tem desenvolvido junto ao governo no sentido de fomentar as relações empresariais externas para o Estado. Entre as discussões em andamento está a Rota Bioceânica.

“Há uma série de situações e discussões em andamento para que a gente fortaleça cada vez mais esses laços que envolvem logística, envolvem negócios de uma maneira geral e que representam tudo aquilo que o Paraguai e Mato Grosso do Sul construíram em comum ao longo da sua história”, comentou.

De acordo com o embaixador Carlos Alberto Simas Magalhães, o mercado brasileiro é fundamental para o Paraguai, incluindo Mato Grosso do Sul. “Para eles, é extremamente importante o investimento brasileiro e o contato com os estados vizinhos”, disse. “Qualquer abertura de negócio para o Paraguai constitui uma bonança em termos de emprego e de geração de tributos e de renda”, completou o embaixador. Na avaliação de Magalhães, essa situação é favorável também aos interesses de MS, que pretende investir em logística para chegar ao Oceano Pacífico.

Presidente da Fiems, Sérgio Longen, lembrou que os projetos de integração modal, principalmente no transporte rodoviário, permitirão melhorar o escoamento da produção. “Permite competitividade dos nossos produtos, nos dando condições de exportar utilizando o Porto de Concepción [porto fluvial localizado na cidade de Concepción, no Paraguai, próximo à fronteira de MS]”, explicou. “É um momento ideal de nós somarmos os esforços por esses interesses e avançarmos na nossa agenda”, concluiu.