Geraldo propõe Hospital da Mulher e da Criança como referência à Covid-19 para Dourados e região

Hospital Universitário de Dourados também poderá ter laboratório para fazer diagnóstico dos casos suspeitos para toda a região

Hospital da Mulher e da Criança está com 90% das obras concluídas e pode ser Referência para a Covid-19 – Foto de João Rocha

O secretário estadual de Saúde Geraldo Resende está entabulando conversações com a direção da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Hospital Universitário de Dourados (HU), Secretaria Municipal de Saúde de Dourados, Ministério da Saúde e Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares) com o propósito de articular o término, o mais rápido possível, das obras de construção do Hospital da Mulher e da Criança, em Dourados.

O objetivo é, dentro de um plano emergencial, dotar a unidade de uma estrutura com 30 a 40 leitos clínicos e 15 a 20 leitos de UTI, para que a unidade seja a referência no tratamento de pacientes com casos confirmados da Covid-19 de Dourados e municípios da região.

Para que isso seja possível, as obras do Hospital precisam ser concluídas até meados de maio e, paralelamente, é necessário a aquisição de equipamentos para a ativação da nova estrutura. A proposta vem sendo trabalhada pelo secretário Geraldo Resende em parceria com a reitoria da UFGD e diretoria do Hospital Universitário de Dourados.

“Sempre tivemos uma excelente parceria com a direção da UFGD e do HU/Dourados. E neste momento em que precisamos nos preparar para um cenário de necessidade de mais leitos para os eventuais pacientes do novo coronavírus, estamos tendo toda a receptividade e colaboração na proposta de transformar, emergencialmente, o futuro Hospital da Mulher e da Criança em referência para a Covid-19”, salienta o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende.

Atualmente, as obras do Hospital da Mulher e da Criança estão concluídas em cerca de 90%, com previsão inicial de entrega da primeira etapa até o final do mês de junho. Para tanto, será necessária a liberação de cerca de R$ 4 milhões para concluir o pagamento da obra física; e outros R$ 4 a 5 milhões para a compra dos equipamentos necessários à ativação dos leitos para a Covid-19.

“Vamos acionar a bancada de Mato Grosso do Sul para nos ajudar nessa tarefa de conquistar os recursos necessários. Já entramos em contato com o ministro Luiz Henrique Mandetta, que deu todo o apoio à proposta. A partir de amanhã vamos trabalhar junto à Universidade, que tem sido parceira excepcional na condução do combate ao coronavírus em Dourados e região e junto à Ebserh, com o presidente, o general Oswaldo Ferreira para que a empreiteira  da obra trabalhe dia e noite e finalize o hospital e nesse ínterim, compramos os equipamentos”, explica Geraldo Resende.

O secretário destacou a parceria da reitora da UFGD, Mirlene Damázio, e do superintendente do HU-UFGD, Alisson Henrique Farinelli, que estão dando todo o apoio para a proposta. “Inclusive já estão com sua equipe elaborando a documentação necessária para orçar e subsidiar a conquista dos recursos necessários para a realização deste projeto emergencial”, explica Geraldo Resende. “Também estamos tendo total apoio do Município de Dourados e vamos contar, ainda, com a participação da bancada federal de Mato Grosso do Sul”.

Laboratório

O projeto emergencial proposto por Geraldo Resende engloba ainda a possibilidade de se dotar o laboratório de pós graduação de Faculdade de Ciências da Saúde de profissional, insumos e equipamentos necessários para a realização dos testes da Covid-19. Atualmente, apenas o Lacen-MS (Laboratório Central de Mato Grosso do Sul), sediado em Campo Grande, está habilitado para essa tarefa.

“Caso consigamos implantar esses laboratório, teremos o resultado dos exames de Dourados e de toda a região com maior rapidez, o que traz benefícios tanto para os pacientes, quanto para as autoridades de saúde, pois um caso diagnosticado com mais rapidez, pode ser tratado com mais eficácia”, conclui o secretário.