Geraldo cobra repasses e retomada de internações no HU de Dourados

Da presidência da Câmara, Geraldo entra em contato com autoridades para solicitar regularização de repasses ao HU/Dourados - Assessoria
Da presidência da Câmara, Geraldo entra em contato com autoridades para solicitar regularização de repasses ao HU/Dourados – Assessoria

Parlamentar ocupou a tribuna da Câmara e cobrou solução para a grave crise financeira pela qual passa o Hospital Universitário de Dourados

O deputado federal Geraldo Resende (PSDB) está propondo uma articulação emergencial entre o Governo do Estado e Prefeitura de Dourados, além do Ministério Público Estadual e Federal, no sentido de se regularizar, com urgência, os repasses ao Hospital Universitário (HU) da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

Nesta quinta-feira (8) o parlamentar ocupou a tribuna da Câmara e se posicionou sobre o assunto, onde disse ter tomado conhecimento de nota do HU, afirmando que em virtude da grave crise financeira devido à falta de repasses há seis meses de responsabilidade do governo Estadual e da Administração Municipal, o hospital decidiu não mais internar pacientes adultos clínicos que requerem dieta oral, e que a partir de segunda-feira próxima serão suspensas as cirurgias eletivas.

“Trata-se de uma situação gravíssima para qual precisamos de providências urgentes, a fim de se evitar a suspensão de cirurgias e de se retomar as internações de adultos”, salienta o parlamentar. “A população da Grande Dourados não pode ser penalizada por causa dos atrasos nos repasses, tanto do Estado quanto do Município”.

Mesmo ocupando a presidência da sessão plenária desta sexta-feira (8), o deputado ligou para o secretário estadual de Saúde Nelson Tavares, e em rápidas palavras, solicitou informações e pediu uma urgente intervenção na busca de solução para o problema. “Estou confiante de que o secretário vai, mais uma vez, demonstrar seu comprometimento com a saúde pública e, em articulação com a Prefeitura de Dourados, vai socorrer o HU de Dourados”.

Nota

De acordo com nota publicada em nome da Superintendência do HU-UFGD, a decisão de suspender a internação de adultos que necessitem de dieta oral (alimentação) e a possível suspensão das cirurgias eletivas a partir da próxima segunda-feira “foi tomada em virtude da grave crise financeira que o HU-UFGD/EBSERH enfrenta, devido à falta de repasse, desde janeiro de 2017, das parcelas Estadual e Municipal do Contrato do hospital com o SUS, totalizando o montante de R$ 2.295.727,72”.