Gastos com pandemia faz governo prever rombo de 12% do PIB para setor público em 2020

Ministério da Economia argumenta que apenas impacto das medidas de combate ao novo coronavírus é de R$ 521,3 bilhões, ante R$ 417,7 bi

O Ministério da Economia, por meio da Secretaria Especial da Fazenda, informou nesta quinta-feira (2) que o déficit primário do setor público será de R$ 828,6 bilhões em 2020, equivalente a 12% do PIB (Produto Interno Bruto). Aas informações são do R7.

A pasta considerou uma retração de 6,5 para o PIB. Para atingir o equilíbrio fiscal, o governo afirma que é “imprescindível” a continuidade da agenda de reformas (tributária, novo marco legal do trabalho, pacto federativo, privatizações e concessões, marcos legais, lei de falências e recuperação judicial e autonomia do Banco Central).

O ministério argumenta que o impacto das medidas de combate ao novo coronavírus é de R$ 521,3 bilhões, ante R$ 417,7 bi.

Os valores de R$ 521,3 bilhões incluem receitas (R$ 12,8 bi) e despesas (R$ 508,5 bi). Das despesas, R$ 501,1 bi são em execução orçamentária, R$ 0,5 bi sem dotação orçamentária e R$ 0,7 bi, sem ato autorizativo.

Dessa forma, o Brasil fica atrás de Japão (21,1%), Áustria (13%), Suíça (10,4%), Islândia (6,9%), Alemanha (9,0%) e Eslovênia (8,9%). O país, por outro lado, terá um impacto na produção maior que os Estados Unidos (6,9%), Nova Zelândia (6,7%) e Dinamarca (6,4%), por exemplo.

Considerado o tombo de 6,5 do PIB, a pasta tem a expectativa de que a dívida bruta subirá a 98,2% do PIB ao fim de 2020.

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui