Juiz afirmou que o Ministério da Justiça é cargo “técnico” – Reprodução Youtube

O juiz federal Sérgio Moro, futuro ministro da Justiça no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), declarou nesta segunda-feira (5) que abandona a magistratura com “grande pesar” e que não se vê “ainda como um político verdadeiro”.

Moro discursou em um evento sobre construções sustentáveis em Curitiba, em seu primeiro compromisso público desde que aceitou o convite de Bolsonaro. O juiz disse ainda que vê o cargo como predominantemente “técnico” e que trabalhará com aquilo que conhece, a Justiça.

“Mantenho válida a promessa que fiz anos atrás de que jamais entraria na política. Não pretendo jamais disputar qualquer espécie de cargo eletivo”, afirmou. Desde que aceitou assumir o ministério, o ex-juiz tem sido questionado por causa de uma entrevista ao “Estado de S. Paulo” na qual afirma que jamais entraria na política.

“Para mim, Ministério da Justiça e da Segurança Pública, eu estou indo para uma posição técnica, para fazer meu trabalho”, explicou. Ainda assim, reconheceu que isso “envolve certa política, conversar com as pessoas, buscar convencer os parlamentares a aprovar medidas legislativas” que se mostrarem oportunas. “Sempre com ouvido aberto ao diálogo”, concluiu.

O magistrado era responsável pelas decisões em primeira instância da Operação Lava Jato e como ministro pretende fazer do combate à corrupção sua principal bandeira. Moro sai de férias a partir desta terça (6) por 17 dias e pedirá a exoneração da magistratura em janeiro.

Da AnsaFlash