Após o rompimento da barragem que atingiu a cidade em janeiro deste ano, o Governo de Minas Gerais aposta nas flores para restaurar a cidade

Sem condições de retomar a agropecuária comum da região, após o rompimento da barragem da Vale, a cidade de Brumadinho procura alternativas econômicas para levantar o município e a vida da população. Um dos projetos desenvolvidos pelo próprio governo do Estado de Minas Gerais é o Flores para Brumadinho.

Este projeto tem como objetivo inserir a floricultura como uma opção de atividade econômica para que o município se restabeleça. Segundo a própria Secretaria de Agricultura de Minas, essa iniciativa abrirá novas oportunidades de emprego para os munícipes: “Além do simbolismo que a produção de flores trará, entre as culturas agrícolas ela se destaca por empregar, em média, de dez a 15 funcionários por hectare”.

Especialistas envolvidos no projeto afirmam que os produtores locais estão animados com a ideia, embora o cultivo de flores ainda seja uma novidade em Brumadinho. “Os técnicos da secretaria estão animados com o projeto, fazendo planos para que nos tornemos uma ‘segunda Holambra’. Acho que podemos sonhar com isso”, afirma Andressa Jardim, gestora da Secretaria da Agricultura.

Outro ponto do projeto Flores para Brumadinho é a construção do Memorial Jardim da Paz, com o objetivo de fortalecer o turismo na região com jardins temáticos, festivais de flores e ainda um projeto de revitalização urbana. É importante lembrar que antes do rompimento da barragem, as pousadas de Brumadinho tinham ocupação de 80% a 100% de sua capacidade. Atualmente, apenas 20% das acomodações são preenchidas.

A gestora do Circuito Turístico Veredas, Érica Maia, que também está envolvida com o projeto, afirma que o turismo ainda pode ser o grande forte de Brumadinho. “O turismo [na região] gera mais de 2 mil empregos, temos pousadas e atrações belíssimas. Tudo permanece intacto, e é isso que campanha quer mostrar”, relatou.