Filme da Mulher-Maravilha é banido no Líbano por Gal Gadot ser israelense

O Líbano baniu oficialmente Mulher-Maravilha, duas horas antes do filme ser exibido nos cinemas, com o argumento de que a protagonista, Gal Gadot, é israelense.

A proibição veio de um grupo Campanha para Boicotar Apoiadores de Israel-Líbano, que desde o início desta semana tem pressionado o governo a fazer isso, apontando que Gadot é uma defensora das políticas militares de Israel contra a Faixa de Gaza, a região costeira da Palestina administrada pelo grupo militante Hamas. O ato é um reflexo de como décadas de hostilidade entre os dois vizinhos também influencia o cenário cultural.

Na última terça-feira (30), o Ministério da Economia não havia recebido nenhum pedido oficial para votar e executar a decisão, e o filme foi agendado para estrear. Entretanto, na manhã desta quarta-feira (31), o anúncio do banimento foi feito através do Twitter oficial do Grand Cinemas do Líbano e confirmado por inúmeras outras fontes.

Enquanto isso, Mulher-Maravilha chegará aos cinemas brasileiros nesta quinta-feira, 1º.

Do Adoro Cinema