Fiems traz embaixador do Brasil no Paraguai para discutir agenda de desenvolvimento

Junior Mochi e deputados receberam o embaixador do Brasil no Paraguai, Carlos Alberto Simas Magalhães - Assessoria
Junior Mochi e deputados receberam o embaixador do Brasil no Paraguai, Carlos Alberto Simas Magalhães – Assessoria

Conduzido pela Fiems, o embaixador do Brasil no Paraguai, Carlos Alberto Simas Magalhães, cumpriu, na manhã desta terça-feira (22/08), uma extensa agenda no Sebrae/MS, TRT/MS (Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso do Sul) e Assembleia Legislativa para, além de estreitar as relações entre o país vizinho e o Estado, fomentar o desenvolvimento do setor produtivo do Estado. “Trata-se de uma oportunidade para discutir e ampliar o debate sobre questões importantes para o desenvolvimento de Mato Grosso do Sul, como a logística, infraestrutura, comércio na faixa de fronteira, questões trabalhistas e segurança”, declarou o presidente da Fiems Sérgio Longen, que acompanhou o embaixador.

No Sebrae/MS, Carlos Magalhães foi apresentado ao projeto “MS Sem Fronteiras”, desenvolvido pela instituição para favorecer um ambiente de negócios e ampliar a competividade das micro e pequenas empresas na faixa de fronteira do Estado com o Paraguai e a Bolívia. Sobre a iniciativa, o embaixador destacou a importância de promover a expansão da fronteira produtiva. “A iniciativa, que começou em 2011, atendeu a mais de 2.500 pequenos negócios na região de fronteira do Brasil com o Paraguai e a Bolívia por meio de cursos, palestras, consultorias, seminários e entre outras ações direcionadas a empresários e jovens acadêmicos da região”, contou o superintendente do Sebrae/MS, Claudio Mendonça.

“É um projeto muito relevante, possibilitando aos dois países acesso aos serviços de desenvolvimento empresarial em benefício de micro e pequenas empresas. Vai ao encontro do que Embaixada espera e propõe como ferramenta de crescimento econômico e fortalecimento institucional”, pontou o embaixador. Ainda no encontro realizado no Sebrae/MS, o presidente da Fecomércio/MS, Edison Araújo, falou sobre a necessidade de capacitação da mão de obra que atua na região de fronteira, tanto do lado brasileiro quanto do paraguaio. “O intercâmbio de mão de obra no comércio da fronteira é uma realidade, e precisa ser qualificada. Mas o Senac, por exemplo, esbarra na dificuldade de certificar os paraguaios por falta de documentação necessária”, explicou, sugerindo ao embaixador a criação de um documento diplomático para que os paraguaios pudessem fazer cursos e receberem a certificação.

Emprego

Também presente na reunião, o superintendente do Trabalho no Estado, Vladimir Struck, contribuiu falando sobre a necessidade de regulamentação do trabalho na faixa de fronteira. “A despeito da reforma trabalhista, que chamamos de modernização justamente por regulamentar e legalizar novas formas de trabalho, precisamos discutir as relações do trabalho entre Brasil e Paraguai, estabelecendo uma política do ‘ganha-ganha’, em que ambos os lados são beneficiados. Diversas medidas provisórias sobre as mudanças na legislação trabalhista ainda estão sendo editadas e esse é um debate que poderia entrar em pauta”, sugeriu.

Longen e o embaixador, então, seguiram para a sede de TRT/MS, onde foram recebidos pelo presidente João de Deus. “Estou desembargador, então o Tribunal, enquanto instituição, tem uma satisfação muito grande em receber o representante do Brasil no Paraguai”, disse o desembargador do Trabalho.

Assembleia Legislativa

Na Assembleia Legislativa, o embaixador e Longen foram recebidos pelo presidente da Casa, Junior Mochi, e outros deputados, onde trataram da viabilização do Corredor Bioceânico, que ampliará a infraestrutura logística para o escoamento da produção do Estado para países da América do Sul, inclusive o Paraguai.

Mochi, na ocasião, ressaltou a necessidade de ampliar a segurança na faixa de fronteira e destacou a relação comercial e cultural que o Estado sempre teve com o Paraguai. “Mantemos um excelente relacionamento com o povo paraguaio e temos total interesse de colaborar no processo de viabilização da rota bioceânica”, disse o deputado.

Presidente da comissão de Indústria e Comércio da Casa, o deputado estadual Paulo Corrêa acrescentou que o texto do acordo entre o Brasil e Paraguai para a construção de uma ponte rodoviária internacional sobre o Rio Paraguai entre as cidades de Porto Murtinho (MS) e Carmelo Peralta, no Paraguai, tramita no Congresso. “O projeto agora está na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania) da Câmara dos Deputados e tem como relator um representante de Mato Grosso do Sul, deputado federal Elizeu Dionísio”, destacou.