Palestra será ministrada pelo consultor da CNI, Luiz Roberto Gomes Dias de Oliveira – Assessoria

A Fiems promove, no próximo dia 8 de outubro, às 19 horas, na Incubadora Sindical, localizada na Avenida Afonso Pena, 1.031, em Campo Grande (MS), a palestra “Qualificação Profissional e Atuação no Mercado Externo”, que será ministrada pelo consultor da CNI (Confederação Nacional da Indústria), Luiz Roberto Gomes Dias de Oliveira, que é especialista em Comércio Exterior e Relações e Negócios Internacionais. A palestra é gratuita e os empresários interessados podem ser inscrever pelo e-mail vania@fiems.com.br ou pelo telefone (67) 3324-1963.

A palestra faz parte do projeto “Diálogos da Indústria”, que integra o PDA (Programa de Desenvolvimento do Associativismo), e tem como objetivo apresentar dados e estudos que contextualizam a qualificação do profissional da indústria na atualidade e preparar as empresas para se inserirem no mercado externo. Os “Diálogos da Indústria” buscam promover o debate sobre as dificuldades enfrentadas pelas indústrias e sobre as possibilidades de atuação empresarial coletiva com vistas a mitigar problemas relacionados aos fatores-chave do Mapa Estratégico da Indústria 2018-2022, elaborado pela CNI com a contribuição de líderes empresariais, acadêmicos e, federações estaduais e associações setoriais de indústrias.

Dentre outros temas, o especialista abordará os problemas enfrentados pelos empresários no que se refere à baixa qualificação dos profissionais da indústria e como isso acaba impactando na ampliação da presença das empresas no mercado internacional. Ele vai traçar um comparativo entre as questões educacionais e a produtividade do trabalhador brasileiro em relação aos demais países. “O modelo atual de educação no Brasil não prepara o trabalhador para que tenham competitividade dentro de um mercado globalizado”, destacou.

O objetivo da iniciativa é chamar a atenção do empresário para isso e incentivá-lo através de ações de associativismo a pensar soluções para melhorar esta qualidade de mão de obra para enfrentar a concorrência global. Conforme Luiz de Oliveira, esse problema educacional e de produtividade impacta na capacidade importadora do País. Sobre a iniciativa do PDA, ele ressalta a preparação da base da empresa, ou seja, da qualificação da mão de obra, não abordando apenas temas técnicos da área da importação e exportação, mas mostrando que se empresa quiser ser competitiva, é necessário um olhar sério sobre a questão educacional e o preparo da mão de obra.