Fiems já distribuiu mais de 120 mil máscaras, 25 mil litros de álcool e 392 protetores faciais

Ações fazem parte da campanha da Fiems e Sesi de combate à pandemia – Divulgação

Em apenas um mês, o Sistema Fiems já distribuiu 121,3 mil máscaras de tecido, 25,9 mil litros de álcool e 392 protetores faciais (face shields) para 26 municípios de Mato Grosso do Sul, sindicatos industriais, entidades parceiras e bairros em situação de vulnerabilidade social. As ações fazem parte da campanha da Fiems e Sesi de combate à pandemia do novo coronavírus, que, para além de conter os focos de Covid-19, visa preservar empregos e movimentar a economia do Estado por meio da indústria.

Segundo o presidente da Fiems, Sérgio Longen, a atuação em múltiplas frentes é resultado da mobilização da iniciativa privada, representada pela Federação, para auxiliar o poder público e a população a superar este momento de crise na saúde e econômica. “Nas questões que envolvem a saúde do trabalhador e da população em geral, segundo informações técnicas de médicos e pesquisadores, a máscara é a medida mais eficaz para proteger a sociedade da proliferação da Covid-19. Nós temos atuado fortemente nessa questão e estamos com uma ação desenvolvida em vários municípios e o Sistema Indústria está disponibilizando máscaras a toda a sociedade sul-mato-grossense”, disse.

O líder empresarial acrescenta, ainda, que quando recebem as máscaras, gestores dos municípios e entidades manifestam a importância do apoio da Fiems e do Sesi. “Neste momento, os equipamentos de proteção e álcool são insumos cuja demanda disparou no mercado e, com ela, os preços, por isso, todos estavam com dificuldades para ter acesso. A Fiems, por meio de uma ampla articulação com a indústria local, viabilizou a aquisição e está distribuindo gradativamente”, explicou.

No termo de doação, fica estabelecido que os itens devem ser repassados à rede pública de saúde e entidades de assistência social, no caso dos municípios. Até agora, foram beneficiadas com a doação de 31,3 mil máscaras de tecido e álcool 70º GL às cidades de Amambai, Antônio João, Aral Moreira, Caracol, Cassilândia, Chapadão do Sul, Corguinho, Fátima do Sul, Guia Lopes, Inocência, Itaquirai, Japorã, Jardim, Mundo Novo, Naviraí, Nioaque, Paranaíba, Ponta Porã, Porto Murtinho, Rio Brilhante, Rio Verde, São Gabriel do Oeste, Sete Quedas, Sidrolândia, Tacuru e Terenos.

Os 23 sindicatos industriais do Estado vinculados ao Sistema Fiems também receberam 27,8 mil máscaras de tecido para doarem às empresas associadas, e, além deles, outras 48 mil unidades foram entregues às entidades parceiras, como a Faems (Federação das Associações Empresariais do Mato Grosso do Sul), Associação Comercial e Empresarial de Corumbá e CAU/MS (Conselho de Arquitetura e Urbanismo), e às associações beneficentes, como a Santa Casa de Campo Grande, Comitiva Esperança e Associação Getúlio Barbosa.

Os bairros Danúbio Azul, Taquaral Bosque, Jardim Colúmbia e Nova Lima, todos da Capital, também sediaram um mutirão de entrega promovido pela Fiems e pelo Sesi, sendo que as famílias da região receberam 15 mil máscaras. Sobre os protetores faciais (face shields), 150 deles foram repassados à Santa Casa de Campo Grande e os demais distribuídos à rede de saúde pública de dez municípios. Eles foram confeccionados pela Startup do Sesi por meio da tecnologia de impressão 3D.

Mobilização da indústria

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, a Fiems lidera uma ampla mobilização para, além de combater ao Covid-19, apoiar a indústria local para que mantenha empregos e garanta renda a seus trabalhadores. O álcool, por exemplo, foi adquirido pelo Sesi da Cervejaria Bamboa, localizada em Campo Grande. Após articulação da Fiems, a indústria obteve autorização para produzir álcool 70°GL.

O primeiro lote foi todo doado à SES (Secretaria Estadual de Saúde) e, depois, passou a ser comercializado no Estado a preços acessíveis para a população. O álcool destinado à SES, por sua vez, teve como matéria-prima o etanol doado pelas indústrias sucroenergéticas locais, ação também articulada pela Fiems por meio da Biosul (Associação de Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul).

Já as máscaras de tecido são fruto de uma força-tarefa da indústria têxtil local. Para conseguir atender à crescente demanda, as confecções têm firmado parcerias com pequenas costureiras que, de casa, auxiliam na produção e acabamento, tudo com equipamento e matéria-prima cedida pelas empresas. O Sesi, então, adquire estas máscaras e faz com que elas cheguem à população do Estado, seja nos mutirões, seja repassando-as às prefeituras e entidades para que as distribuam.

DEIXE UM COMENTÁRIO/RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui